Advogado acusado de fraude milionária contra plano de saúde do Rio se entrega à polícia

Carolina Heringer

O advogado Manoel José Edivirgens dos Santos, de 65 anos, acusado de integrar uma quadrilha que aplicou um golpe milionário contra a Unimed de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, se entregou à polícia baiana nesta terça-feira. Contra ele, que estava foragido há cerca de um mês, havia um mandado de prisão preventiva pendente. No dia 20 do mês passado, a 105ª DP (Petrópolis), responsável pelas investigações, fez uma operação em conjunto com o Ministério Público estadual do Rio.

Foram cumpridos mandados no Rio, Distrito Federal, Bahia e Minas Gerais. De acordo com o delegado João Valentim, atualmente titular da 106ª DP (Itaipava), na época foram presos um advogado, dois empresários, e um diretor da Unimed. Edivirgens não foi localizado e estava foragido. Segundo as investigações, a quadrilha é acusada de de forjar créditos tributários de milhões de reais e os vendê-los pela metade do valor para empresas supostamente reduzirem as suas dívidas com a Receita Federal. Entre 2012 e 2019, eles movimentaram R$ 400 milhões em suas contas bancárias.

As investigações apontam que um dos golpes praticados pelo grupo causou um prejuízo de R$ 17,7 milhões à Unimed Petrópolis. Um dos suspeitos, Darcy Royer, era superintendente da empresa, e convenceu diretores do conselho de administração sobre as supostas vantagens do contrato de cessão de créditos tributários fictícios. Nos endereços onde os suspeitos foram presos foram encontradas joias e artigos de luxo.