Advogado da família Bolsonaro é filmado em atos golpistas

Frederick Wassef (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Frederick Wassef (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
  • Advogado de Flávio Bolsonaro discursou em ato que pede intervenção militar contra resultado das eleições;

  • Na fala, Wassef defendeu o crescimento das manifestações golpistas;

  • Jurista ficou conhecido em 2020 após esconder Fabrício Queiroz, preso naquele ano, na própria casa.

O advogado responsável por defender integrantes da família do presidente Jair Bolsonaro (PL), Frederick Wassef (PL), participou, na segunda-feira (21), de um protesto golpista realizado em frente ao Quartel-General do Exército, em Brasília.

Em vídeos que circulam nas redes sociais, Wassef aparece dizendo que o chefe do Executivo, os filhos dele e até mesmo o próprio advogado, foram perseguidos nos últimos anos.

Ele ainda diz que é preciso “aumentar” a manifestação.

“Cada um de vocês é um herói. Muito obrigada. Tenho orgulho de estar aqui. Vocês tem que continuar essa lutar, gente. Aumentar e aumentar. Luta é uma palavra errada. Essa manifestação pacífica e democrática, para salvar o futuro de vocês mesmo, do Brasil”, diz o advogado em um dos vídeos.

Grupos de apoiadores de Bolsonaro promovem manifestações desde o dia 30 de outubro, data de finalização das eleições presidenciais.

Inconformados com a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), eles promovem bloqueios em estradas e acampam em frente a quartéis do Exército em busca de uma intervenção que impeça o petista de assumir o mandato em 2023.

O ato com participação de Wassef foi realizado na Praça dos Cristais, localizada no Setor Militar Urbano.

No pleito deste ano, Wassef também tentou um cargo político. Ele foi candidato a deputado federal por São Paulo, mas obteve apenas 3.628 votos, mesmo tendo apoio de membros da família Bolsonaro.

O advogado ficou conhecido em 2020, após a prisão de Fabrício Queiroz na casa dele.

Na época, Wassef defendia Flávio Bolsonaro, senador investigado por transações financeiras suspeitas durante os mandatos parlamentares.

O jurista se apresenta como conselheiro de Bolsonaro de quem afirma ter se aproximado em 2014. Em entrevista concedida a Andréia Sadi, do G1, ele afirmou conhecer “tudo que tramita na família”.