Advogado de Anderson Torres será mesmo de Flávio Bolsonaro nas rachadinhas

Anderson Torres (à esq.), ex-ministro e ex-secretário de Segurança do DF, irá escalar mesmo advogado que defendeu o senador Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas. (Foto: Reprodução/Twitter)
Anderson Torres (à esq.), ex-ministro e ex-secretário de Segurança do DF, irá escalar mesmo advogado que defendeu o senador Flávio Bolsonaro no caso das rachadinhas. (Foto: Reprodução/Twitter)
  • Advogado contratado por Anderson Torres defendeu Flávio Bolsonaro em caso das rachadinhas;

  • Rodrigo Roca vai atuar gratuitamente em caso de ex-ministro e já reuniu grupo com mais de dez advogados para a equipe;

  • Torres é acusado de omissão em caso de ataques terroristas promovidos por bolsonaristas em Brasília (DF) no domingo (8).

O ex-ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro (PL) e ex-secretário de Segurança de Brasília (DF), Anderson Torres, contratou o advogado que atuou na defesa do senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) no caso das “rachadinhas” para atendê-lo após vandalismo promovido na capital federal.

Rodrigo Roca também já foi nomeado, no ano passado, para o cargo de secretário nacional do Consumidor, órgão vinculado ao Ministério da Justiça, è época, chefiado por Torres.

Apuração do jornal Valor Econômico lembra que o criminalista também atuou na defesa do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, em processos da Operação Lava-Jato.

Torres teve pedido de prisão decretada pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), após os episódios de ataques terroristas promovidos por apoiadores de Bolsonaro em Brasília. Como responsável pela pasta da Segurança no DF, Anderson foi aucsado de omissão na invasão das sedes dos Três Poderes, ocorrida no último domingo (8).

O então secretário estava nos EUA no dia do ocorrido e foi exonerado. Na terça-feira, após ordem de prisão, Torres afirmou que iria retornar ao país para se entregar à Justiça.

Defesa ‘pro-bono’ e pool de advogados

Para a coluna de Juliana Dal Piva, do portal UOL, Roco afirmou ter aceitado compor a defesa do ex-secretário gratuitamente ou ‘pro-bono’. À colunista, ele informou já ter apresentado uma petição ao STF “mostrando o verdadeiro quadro dos fatos” ocorridos em Brasília. Além disso, montou um verdadeiro esquadrão de para o caso do ex-ministro, com grupo de 11 advogados.

"Ainda não tivemos acesso aos autos. Pedimos, mas ainda não foi deferido. Vamos mostrar a realidade que é diferente do que foi apresentado ao STF", afirmou Roca ao UOL.

Além dele, atuarão na defesa de Torres: Demóstenes Torres, Vera Silveira, Eustáquio Silveira, Alexandre Ribeiro, Anamaria Resende, Andressa Gomes, Diego Schmaltz, Fabio Mello, Pedro Teixeira e Ricardo Venâncio.