Advogado de Paulo André rebate Corinthians. Veja o que ex-zagueiro pediu de fato na Justiça

Paulo André terá direito a uma bolada de R$ 750 mil após vitória na Justiça contra o Corinthians (Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

Desde segunda-feira, a decisão do Corinthians de não jogar mais aos domingos e à noite tem dado o que falar - a informação, inclusive, foi revelada com exclusividade pelo Blog. E o mais novo desdobramento deste caso diz respeito à resposta de Paulo André, por meio de seu advogado. O pivô da deliberação corintiana assegura que nunca cobrou nada a respeito de jogos aos domingos ou à noite.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

O Blog teve acesso ao processo e, de fato, não há qualquer menção às partidas noturnas. Embora Paulo André use o fato de ter jogado algumas dezenas de vezes aos domingos para cobrar a falta de folgas semanais.

Leia também:

Um trecho da ação na Justiça descreve a pedida do ex-zagueiro da seguinte maneira: “Deve ser o Reclamado (Corinthians) condenado ao pagamento de todos os domingos e feriados trabalhados pelo Reclamante (Paulo André), pois jamais compensados, devendo o pagamento ocorrer em dobro, conforme entendimento da Súmula n.º 146 do TST, acrescidos do reflexo do DSR em todas as verbas contratuais e rescisórias, tais como salário, 13º salário, férias +1/3 e FGTS + multa de 40%.”

Trecho do processo em que Paulo André cobra os feriados trabalhados, além da falta de folgas semanais

A alegação de Paulo André por meio de seu advogado, João Henrique Chiminazzo, é de que o Corinthians só concedia as devidas folgas semanais quando as partidas eram realizadas nos sábados. Desta maneira, ele e o elenco descansavam no domingo e se reapresentavam na segunda. Porém, com os jogos no domingo, eram marcadas as reapresentações na própria segunda-feira, para trabalhos regenerativos.

A condenação de R$ 1,2 milhão a qual foi submetido o Corinthians também se deu por causa dos feriados trabalhados. O agora gerente de futebol do Athletico alegou que só tinha direito a folgar no Natal e Ano Novo, cobrando o ressarcimento pelas seguintes datas: 25 de janeiro, Carnaval, Sexta-feira Santa, 1º de maio, Corpus Christi, 9 de julho, 7 de setembro, 12 de outubro, 2 de novembro, 15 de novembro e 20 de novembro.

No fim, o Corinthians conseguiu chegar a um acordo com Paulo André e está pagando R$ 750 mil, de forma parcelada. Essa bolada não diz respeito apenas às questões das folgas e feriados. O ex-zagueiro pediu, entre outras coisas, direito de arena, prêmios não pagos referentes aos anos de 2011 e 2013, a unicidade do contrato (de junho de 2009 a fevereiro de 2014)...

Primeira parte dos pedidos feitos por Paulo André na Justiça
O trecho que trata sobre a exigência de pagamento em dobro de feriados e pela ausência de folgas semanais

Veja mais de Jorge Nicola no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.