Advogado de Gabriel Monteiro é expulso do velório de ex-assessor morto

O corpo de Vinícius Hayden Witeze, ex-assessor do vereador Gabriel Monteiro, foi sepultado nesta segunda-feira, no Cemitério de Mesquita, na Baixada Fluminense. Pouco antes do sepultamento, durante o velório, houve um momento de tensão quando Gustavo Lima, advogado do parlamentar, chegou ao cemitério. Aos gritos de "traidor" e " traíra", amigos de Vinícius exigiram que Gustavo fosse embora. O advogado acabou dando meia-volta na entrada do cemitério e deixou o local, embarcando em um carro preto.

Ísis Hayden, mãe de Vinicius, classificou a morte do filho como uma fatalidade. Ele morreu num capotamento, no sábado, na rodovia que liga Teresópolis a Nova Friburgo.

Também nesta segunda-feira foi feita uma perícia no carro usado por Vinícius Hayden Witeze. O veículo foi levado para a parte de trás do pátio da 110ª DP (Teresópolis). Os peritos recolheram objetos, entre eles uma faca dentro do forro de uma das portas, e papéis que estavam no automóvel. Também foram retiradas peças do veículo para análise.

Por volta do meio-dia, o carro usado por Vinícius foi colocado na prancha de um reboque para ser levado a uma concessionária da Toyota, em Petrópolis, também na Região Serrana. A intenção é permitir que mecânicos e peritos façam a análise mais aprofundada de algumas peças do veículo e possam esclarecer as dúvidas sobre o que ocasionou o acidente. Durante o trabalho dos peritos no pátio da delegacia foram retirados o para-choque traseiro e algumas peças do motor para análise. Também foram recolhidos papéis encontrados dentro do automóvel.

O delegado da 110ª DP Márcio Mendonça disse que a expectativa é de que o resultado dessas perícias saiam em uma semana, mas a de engenharia pode demorar um pouco mais. Ele frisou que a intenção é tentar agilizar o máximo para esclarecer o mais rápido possível esse caso. O delegado informou que também pediu exame de alcoolemia de Vinicius Hayden.

De acordo com a Polícia Civil, as investigações preliminares indicam que o motorista perdeu a direção do veículo ao entrar em uma curva da rodovia na rodovia. Uma sobrevivente relatou aos policiais que não houve intervenção de terceiros no acidente. Na delegacia, ela negou que o carro estivesse em alta velocidade, já que havia sinais de problemas mecânicos por uso de gasolina de baixa qualidade, e afirmou acreditar que o capotamento foi causado pela soma de três fatores: o desconhecimento da via, a escuridão e a sinalização precária da estrada.

Dentro do carro, foram encontradas cópias do depoimento que Hayden deu na Câmara de Vereadores do Rio no processo que pode culminar na cassação de Gabriel Monteiro, na última quarta-feira. Ele entrou e saiu do local cercado por seguranças e usando um colete à prova de balas, após dizer estar sendo alvo de ameaças.

Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara do Rio, a vereadora Teresa Bergher informou ter recebido uma ligação em seu gabinete de Vinicius Hayden Witeze, na última sexta-feira, em que ele pedia que a Casa disponibilizasse seguranças para ele.

“O procurador da câmara, José Minc, me disse que seria necessário um ofício das testemunhas pedindo a segurança. Na sexta-feira, o Vinícius ligou para o meu gabinete, pedindo segurança. Foi orientado a fazer um ofício com este pedido. Ele ficou de entregar o documento nesta segunda-feira, mas, infelizmente, não teve tempo. É tudo muito triste, muito chocante e estranho. Vamos aguardar a perícia no carro”, disse a vereadora, em nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos