Advogado, milionário e dono da casa mais cara de Brasília: saiba quem é Ibaneis Rocha

Ibaneis Rocha (MDB) é uma figura polêmica em Brasília. Advogado de formação e milionário, o agora governador afastado do Distrito Federal é também o dono da casa mais cara já vendida na capital federal. Por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Morais, o político ficará longe do cargo pelos próximos 90 dias, pelo que o magistrado considerou "conduta dolosamente omissiva" frente ao ataque golpista à sede dos três Poderes neste domingo. Com a determinação, ele cede lugar para a vice-governadora Celina Leão (PP).

Acompanhe ao vivo: bolsonaristas radicais invadem Congresso, Planalto e STF, sedes dos Três Poderes, em Brasília

Afastado do cargo: como fica o comando do DF e o que acontece com o governador Ibaneis Rocha

Apesar de ter repudiado a ação dos bolsonaristas radicais no Congresso, Palácio do Planalto e STF, Ibaneis é declaradamente apoiador do ex-presidente, além de ser um fenômeno político que ascendeu durante o bolsonarismo. Em 2018, quando concorreu pela primeira vez ao Palácio do Buriti, sede do poder executivo do Distrito Federal, ele tinha apenas 2% das intenções de voto na largada da corrida eleitoral. Apesar de ser um candidato desacreditado pelas pesquisas, tinha algo que faltava à maioria das candidaturas: dinheiro próprio para se financiar.

Único governador do Distrito Federal com o gentílico brasiliense da História, o emedebista é detentor de um patrimônio extenso. Em fevereiro de 2019, comprou a casa mais cara já vendida em Brasília. Para ser dono do imóvel de dois mil metros quadrados, precisou desembolsar R$ 24 milhões. A mansão, localizada em uma área nobre da capital federal — no QI 5, na região do Lago Sul — é totalmente mobiliada. O lugar conta com seis suítes, lago artificial, adega climatizada com capacidade para 600 garrafas e piscina com azulejos de autoria do artista pernambucano Francisco Brennand.

'Conduta dolosamente nociva': entenda por que Alexandre de Moraes determinou o afastamento de Ibaneis por 90 dias

Rocha, que em 2018 declarou patrimônio de R$ 94 milhões ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), disse ter financiado a propriedade em três anos: R$ 1 milhão de entrada, R$ 6 milhões pagos em seguida e o restante do valor dividido em outras parcelas, que seriam quitadas até 2022. A fortuna que Ibaneis esbanja em roupas, relógios, casas, carros e até avião começou a ser construída em 1993. De acordo com os valores informados à Justiça Eleitoral há pouco mais de quatro anos, ele também tem 11 imóveis, três terrenos e 17 veículos.

Análise: Ibaneis pede desculpas, mas seu caso é de renúncia ou impeachment

Aos 8 anos, o governador se mudou para Corrente, cidade do extremo sul do Piauí. Foi no estado nordestino que, ainda criança, trabalhou como empacotador de café e açúcar numa feira. Com o trabalho, conta ter aprendido a ganhar e a poupar dinheiro: guardava 50% da renda, que mais tarde usou para pagar o primeiro ano da escola em Brasília. Mais velho, estudou Direito a contragosto do pai, que queria ver o filho como médico. Aos 26 anos, de férias no Piauí, conheceu a ex-esposa, Luzineide Getro, com que teve dois filhos: Caio e João Pedro.

No último ano, pouco mais da metade dos votos válidos no Distrito Federal — isto é, 50,3% — foram destinados a ele. O então governador foi reeleito ainda no primeiro turno para um segundo mandato. Aliado de Bolsonaro, Rocha desbancou o adversário Leandro Grass (PV), que foi escolhido por apenas 26,25% dos eleitores.