Advogado que matou ex na frente dos filhos em Curitiba é indiciado por feminicídio

Advogado matou a ex-companheira em Curitiba - Foto: Divulgação
Advogado matou a ex-companheira em Curitiba - Foto: Divulgação
  • Advogado matou ex-mulher a tiros na frente dos filhos no fim do mês passado

  • Vítima foi abordada quando deixava as crianças na escola

  • Ela havia fugido de Prudentópolis para Curitiba justamente para fugir do ex-companheiro

O advogado e ex-policial responsável pelo assassinato da ex-mulher em frente aos filhos no fim do mês passado, em Curitiba, foi indiciado por homicídio com qualificadora de feminicídio.

Jaminus Quedaros Aquino, de 59 anos, matou a tiros Suellen Helena Rodrigues, 29, no último dia 31 de outubro, quando a vítima deixava as crianças de 7 e 10 anos na Escola Municipal Professora Donatilla Caron dos Anjos.

Seria o primeiro dia de aula dos irmãos, depois de Suellen ter se mudado de Prudentópolis para a capital paranaense justamente para fugir do ex-marido.

Suellen já havia denunciado Jaminus por agressão e tinha uma medida protetiva contra ele. A Justiça, inclusive, havia expedido um mandado de prisão contra o criminoso por descumprir essa medida.

Agora, o indiciamento será encaminhado ao Ministério Público do Paraná (MP-PR), que decidirá se oferece a denúncia ou não. Jaminus pode ser denunciado, ainda, por tentativa de homicídio contra o filho de 10 anos.

Entenda o crime

Suellen foi morta na frente dos filhos no bairro Uberaba. O crime foi registrado por uma câmera de segurança da região.

As imagens mostram a vítima chegando para deixar as crianças na escola. Ao perceber a presença, Jaminus corre na direção dela e dá início a uma discussão.

Após alguns minutos, o advogado saca um revólver e dispara repetidas vezes. Ele ainda chega a arrastar a mulher antes de fugir.

O filho mais velho saiu correndo, enquanto a irmã mais nova tentou impedir a ação. Suellen morreu no local.

Jaminus conseguiu escapar antes que a polícia chegasse, mas se entregou depois de quatro dias foragido. Ele está preso desde o dia 3 de novembro.

Os filhos do casal foram entregues ao Conselho Tutelar, posteriormente sendo deixados sob a guarda dos avós maternos.

O que é feminicídio?

Segundo o Código Penal Brasileiro, o feminicídio é o homicídio praticado contra a mulher pelo fato de ela ser uma figura feminina, ou nos casos de violência doméstica. Fatores como misoginia, menosprezo pela condição feminina, discriminação de gênero e violência sexual são os principais indícios do crime.

A lei do feminicídio (lei 13.104/15) não enquadra, porém, o crime a qualquer assassinato de mulheres.

Variações do feminicídio

Violência doméstica ou familiar: A lei se enquadra nos casos em que o criminoso é uma pessoa da própria família ou já manteve uma relação com a vítima. Esta é a variação mais comum no Brasil.

Menosprezo ou discriminação contra a mulher: A lei também pode ser aplicada quando o assassinato é resultante do preconceito de gênero, que pode ser manifestado pela objetificação feminina e pela misoginia.

Pena prevista para o crime

Vale ressaltar, ainda que o feminicídio é visto pelo Código Penal como uma forma qualificada de homicídio. Sendo assim, a pessoa que cometer o crime está sujeita a pegar de 12 a 30 anos de reclusão.