Afastado do cargo, governador do DF Ibaneis Rocha presta depoimento à PF em Brasília

O governador afastado do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), chegou à sede da Polícia Federal, em Brasília, por volta das 11h desta sexta-feira para prestar depoimento no âmbito do inquérito que apura os atos antidemocráticos do último domingo. Ele entrou pelos fundos da sede da PF em Brasília, acompanhado de dois advogados. O comparecimento de Ibaneis foi um pedido da própria defesa do governador afastado, que se antecipou a uma intimação.

Bela Megale: Advogado de Lula pede à PF que investigue se homem que o ameaçou atuou em atos golpistas

Leia: Dino irá ao STF entregar cópia de Constituição que foi roubada

O afastamento dele foi determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, pelo prazo de 90 dias, após suspeitas de omissão de autoridades locais para conter a invasão do Palácio do Planalto, do Congresso e do Supremo Tribunal Federal.

O ministro também determinou a prisão do então secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Torres, e do comandante-geral da Polícia Militar do DF (PMDF), coronel Fábio Augusto Vieira. Na última quarta, o STF confirmou as decisões de Moraes por 9 votos a 2.

A defesa de Ibaneis afirmou em documento enviado ao Supremo que o plano de segurança elaborado para a manifestação de domingo sofreu "atos de sabotagem" das forças de segurança locais e acusa policiais de terem agido com "conivência" e "colaboração" com os manifestantes golpistas e de terem cometido "deserção". A peça foi encaminhada a Moraes.

No documento, os advogados admitem que a primeira impressão é de que houve "aparente falta de preparação para os atos anunciados", mas argumentam que "diversos agentes aos quais incumbiam a execução do protocolo de ação seguiram pela inaceitável e criminosa linha da conivência e da colaboração com os grotescos atos terroristas, tudo à revelia do que havia sido previamente alinhado".