Afastamento de Caboclo e interferências de Bolsonaro fizeram Coronel Nunes e vices da CBF decidirem por permanência de Tite

·1 minuto de leitura

Com a saída de Rogério Caboclo da presidência da CBF, Tite está mantido no comando da seleção brasileira. A informação foi publicada em primeira mão pelo colunista do jornal "O Globo" Lauro Jardim. Os vice-presidentes irão se reunir daqui a pouco, às 16h, para serem comunicados da decisão de Coronel Nunes, o presidente interino.

Rogério Caboclo, que há tempos tentava mexer na comissão técnica, prometera ao Palácio do Planalto que demitira Tite. O nome do treinador caiu em descrédito com a base aliada de Jair Bolsonaro após ele deixar transparecer durante uma entrevista coletiva que era contra a realização da Copa América no Brasil, torneio que foi abraçado pessoalmente por Bolsonaro.

A reunião que acontecerá daqui a pouco havia sido marcada por Rogério Caboclo assim que a denúncia de assédio sexual contra uma funcionária foi protocolada na Comissão de Ética da CBF. Mesmo após o seu afastamento, determinado no domingo, os vice-presidentes decidiram manter a reunião.

Segundo um deles, que pediu reservas ao seu nome, Coronel Nunes manterá Tite no comando do time para tentar tranquilizar o ambiente da CBF após dias conturbados.

— Não é hora de mexer nisso. Ainda mais com o Bolsonaro metido no meio disso. Agora é hora de tirarmos o foco da CBF — contou.

Dos oito vice-presidentes, cinco participarão da reunião pessoalmente na sede da entidade e outros três de forma virtual.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos