França diz ter provas de que regime de Assad usou armas químicas

Paris, 19 abr (EFE).- O governo da França garantiu nesta quarta-feira ter provas de que o regime sírio de Bashar Al Assad utilizou "conscientemente" armas químicas em um ataque na cidade de Khan Sheikhoun, causando a morte de pelo menos 72 pessoas, entre elas 20 crianças.

"Temos elementos que nos permitirão demonstrar que o regime usou deliberadamente armas químicas", disse o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Marc Ayrault, em uma entrevista transmitida hoje pelo canal parlamentar francês.

Ayrault afirmou que as provas serão apresentadas em "questão de dias" e apontou que os serviços secretos franceses trabalham em uma investigação.

Assad, no entanto, negou qualquer envolvimento neste ataque em Khan Sheikhoun, cidade de cerca de 75 mil habitantes controlada pelo opositor Exército Livre Sírio, e denunciou que o incidente foi provocado por uma conspiração do Ocidente.

As principais potências condenaram o ataque, exceto a Rússia, que vetou no Conselho de Segurança da ONU a resolução apresentada por Estados Unidos, França e Reino Unido.

Os EUA responderam unilateralmente com o lançamento de quase 59 mísseis contra a base aérea síria de Shayrat, nas proximidades da cidade de Homs, que destruíram boa parte das instalações, aviões e equipamento das forças sírias nessa base. EFE