AfroGames abre dois novos polos na Maré para atender 200 jovens da Nova Holanda e do Timbau

O projeto AfroGames chega ao Complexo da Maré neste sábado (16), onde pretende atender 200 alunos nos dois novos polos criados na favela da Nova Holanda e no Morro do Timbau. A iniciativa, surgida em 2019 em Vigário Geral, é voltada para a inclusão digital e geração de impacto social, focado em jovens em situação de vulnerabilidade, moradores de favelas cariocas.

Novos alunos: Projeto AfroGames abre inscrições para turmas de 2022; restam 80 vagas

Inclusão social e digital: projeto de capacitação AfroGames forma mais 100 alunos, neste sábado, na favela de Vigário Geral

Os alunos terão aulas de Programação de jogos, Valorant, League Of Legends e Free Fire, além de inglês. A ideia é que esses jovens utilizem os novos conhecimentos para aumentar as possibilidades de profissionalização deles, além de buscar a inclusão das favelas no mundo bilionário dos games.

A inauguração das duas novas unidade é na manhã deste sábado e as aulas já começam na segunda-feira. Os alunos terão duas aulas por semana, com duração de duas horas, cada.

Serão cem alunos distribuídos por cada unidade. Somados aos 170 que já são atendidos em Vigário Geral, o projeto chegará a 370 jovens a partir dos 12 anos.

Perfil: Líder do AfroReggae estimula projetos na área de tecnologia e games para crianças e adolescentes

Segundo Ricardo Chantilly, diretor do AfroGames, pelo menos 20% dos alunos que já passaram pela primeira unidade do projeto estão no mercado de trabalho. Ricardo disse que as empresas já procuram o projeto em busca de mão de obra. Sobre a ampliação do projeto, afirmou que se trata de um grande desafio:

— O Complexo da Maré é um desafio, por ser o maior complexo de favelas do Rio. Para nós, entrar nesse território tão populoso e dar oportunidade de tecnologia de ponta para os jovens que moram ali é um sonho — avalia o diretor do projeto.

O AfroGames é fruto da parceria entre o Grupo Cultural AfroReggae e a Chantilly Produções e é patrocinado pela IHS do Brasil. Seu objetivo principal é utilizar a educação e a tecnologia como estratégias para transformação social.

Alem disso, busca a geração de renda por meio da criação do primeiro time profissional de eSports dentro de favelas. Também é um centro de cultura gamer e de esportes eletrônicos que forma profissionais com alto potencial competitivo em diferentes segmentos de um setor em expansão no mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos