Agência da UE aprova vacina contra Covid-19 de dose única da Johnson & Johnson

Muvija M e Pushkala Aripaka
·2 minuto de leitura
Vacinação contra Covid-19

Por Muvija M e Pushkala Aripaka

(Reuters) - A agência reguladora de medicamentos da União Europeia aprovou nesta quinta-feira a vacina contra Covid-19 de dose única da Johnson & Johnson, num momento em que o bloco quer acelerar uma campanha de inoculação irregular e aumentar seus suprimentos.

A vacina contra Covid-19 é a quarta a ser aprovada para uso na UE --vindo na esteira dos imunizantes da Pfizer-BioNTech,, da AstraZeneca-Universidade de Oxford e da Moderna-- e é recomendada para pessoas de mais de 18 anos, disse a Agência Europeia de Medicamentos (EMA). Trata-se da primeira vacina de dose única.

Estados Unidos, Canadá e Barein também a aprovaram, e a África do Sul está realizando uma análise acelerada.

"Com esta opinião positiva mais recente, autoridades de toda a União Europeia terão outra opção para combater a pandemia e proteger as vidas e a saúde de seus cidadãos", disse Emer Cooke, diretora-executiva da EMA.

Espera-se uma aprovação final da Comissão Europeia em breve. Uma autorização de comercialização condicional da UE permite que um tratamento seja vendido durante um ano mesmo sem dados completos sobre sua eficácia e efeitos colaterais.

A região está tendo dificuldade para conter uma disparada de casos provocada por uma variante mais contagiosa do coronavírus, e países como Itália e França estão impondo novos lockdowns.

O diretor científico da J&J, Paul Stoffels, descreveu a aprovação como um "momento histórico" para a farmacêutica norte-americana e o mundo agora que governos lutam para controlar a pandemia, que devasta economias e já matou mais de 2,7 milhões de pessoas.

A vacina, batizada de Vacina Covid Janssen em homenagem à unidade da J&J que a desenvolveu, ajudará a reforçar os suprimentos de vacina da UE depois de uma distribuição intermitente causada por atrasos em remessas da Pfizer e da AstraZeneca.

A J&J concordou em entregar ao menos 200 milhões de doses ao bloco neste ano, sendo 55 milhões no segundo trimestre, e os primeiros carregamentos são esperados neste mês.

Mas os volumes exatos não estão claros, e a farmacêutica norte-americana disse à UE que está tendo problemas de suprimento que podem complicar os planos de entrega da totalidade das doses do segundo trimestre.

No teste global de 44 mil pessoas da J&J, a vacina se mostrou 66% eficaz na prevenção de casos moderados a graves de Covid-19 quatro semanas após a inoculação e 100% eficaz na prevenção de hospitalizações e mortes decorrentes do vírus.

(Reportagem adicional de Francesco Guarascio em Bruxelas e Bart Meijer em Amsterdã)