Agência dos EUA autoriza duas vacinas da Covid direcionadas a subvariantes da Ômicron

Ilustrações de vacinas contra Covid-19

Por Mrinalika Roy e Julie Steenhuysen

(Reuters) - A Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) autorizou nesta quarta-feira doses de vacina contra Covid-19 atualizadas da Pfizer/BioNTech e da Moderna que visam as subvariantes dominantes BA.4 e BA.5 da Ômicron, enquanto o governo se prepara para uma campanha de vacinação que pode começar em poucos dias.

Ambas as vacinas também incluem a versão original do vírus alvo de todas as vacinas anteriores contra Covid.

A FDA autorizou as doses para todos com mais de 12 anos que receberam uma série de vacinação primária e estão há pelo menos dois meses de uma dose de reforço anterior, menor do que os intervalos recomendados anteriormente.

A vacina reformulada da Moderna foi autorizada para maiores de 18 anos, enquanto a vacina da Pfizer/BioNTech estará disponível para maiores de 12 anos, disse a FDA.

“À medida que nos aproximamos do outono e começamos a passar mais tempo em ambientes fechados, incentivamos fortemente qualquer pessoa elegível a considerar receber uma dose de reforço com uma vacina contra Covid-19 para fornecer melhor proteção contra variantes atualmente em circulação”, disse o comissário da FDA Robert. Califf em um comunicado.

Especialistas disseram que as vacinas atualizadas serão importantes para pessoas idosas e imunocomprometidas, mas que há dados limitados para apoiar o nível de proteção que o governo prometeu.

"A ideia é que eles querem que a proteção contra a infecção seja gerada o mais rápido possível na população, mas ainda não está claro quão clinicamente eficazes essas vacinas são contra a infecção por BA.5 e se um período de espera mais curto afetará a eficácia devido à interferência da imunidade prévia", disse o Dr. Amesh Adalja, especialista em doenças infecciosas do Johns Hopkins Center for Health Security, em Baltimore.

(Reportagem de Mrinalika Roy em Bengaluru e Julie Steenhuysen em Chicago; reportagem adicional de Ahmed Abouleneinin Washington e Michael Erman em Maplewood, Nova Jersey)