Agência dos EUA investigará como operadoras de celular usam dados de localização do consumidor

Pessoa usa celular na Times Square antes das celebrações de Ano Novo em Manhattan, Nova York, EUA

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - A Comissão Federal de Comunicações dos Estados Unidos (FCC, na sigla em inglês) disse nesta quinta-feira que investigará se as operadoras de celular estão cumprindo com as regras que exigem a divulgação aos consumidores de como são usados e compartilhados seus dados de localização.

"Estas informações e dados de geolocalização são realmenteconfidenciais. É um registro de onde estivemos e quem somos", disse a presidente da FCC, Jessica Rosenworcel. "É por isso que a FCC está tomando medidas para garantir que esses dados sejam protegidos".

Em julho, Rosenworcel pediu às 15 principais operadoras de celular dos EUA, incluindo Verizon, AT&T, T-Mobile, Comcast, Google Fi, da Alphabet, e Charter Communications por informações sobre suas políticas e práticas de retenção de dados e privacidade. A FCC divulgou as respostas nesta quinta-feira e tornou mais fácil para os consumidores registrarem reclamações em seu site.

Em fevereiro de 2020, a agência propôs multar quatro grandes operadoras de telefonia móvel dos EUA em mais de 200 milhões de dólares por não proteger as informações de localização dos consumidores.

O assunto atraiu novo interesse nos últimos meses.

Em julho, o Google disse que excluiria os dados de localização que mostram quando os usuários visitam uma clínica de aborto, após preocupações de que um rastro digital possa informar às autoridades sobre uma interrupção de gravidez ilegal.

À medida que Estados dos EUA implementaram novas restrições ao aborto, cresceu a preocupação de que a polícia pudesse obter mandados para os históricos de busca dos clientes, como localização e outras informações que revelariam planos de realização do procedimento.