Agência europeia autoriza uso da vacina da AstraZeneca durante investigação

·1 minuto de leitura
Segundo a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), se investigam casos de coágulos que levaram a uma trombose

A vacina contra o coronavírus da AstraZeneca pode ser usada, enquanto se investigam casos de coágulos que levaram a uma trombose - afirmou a Agência Europeia de Medicamentos (EMA), nesta quinta-feira (11).

"A posição do comitê de segurança da EMA (...) é que os benefícios continuam, superando os riscos e a vacina pode continuar sendo administrada, enquanto a investigação de casos de eventos tromboembólicos está em curso", disse a EMA, horas depois de Noruega, Dinamarca e Islândia anunciarem a suspensão preventiva da imunizante.

A agência indicou que, de acordo com suas informações, a decisão dinamarquesa "foi tomada por precaução".

A EMA descartou na quarta-feira que a vacinação realizada com um lote da vacina da AstraZeneca tivesse causado essas tromboses.

Essas reações cardiovasculares "não são classificadas como efeitos colaterais" do imunizante, afirmou a agência.

"O número de casos de trombose entre as pessoas vacinadas não é superior ao número de casos observados na população em geral", indicou a agência, que responde por 27 países da UE, assim como a Noruega, Islândia e Lichtenstein.

A Itália, no entanto, decidiu suspender o uso de um lote de vacinas anticovid da AstraZeneca como medida de precaução, por medo de coágulos sanguíneos detectados em vários países europeus, informou a Agência Italiana de Medicamentos (AIFA) nesta quinta-feira.

dk-amo/jz/mb/tt/bn