Agência fiscal impede pais de registrarem bebê como Vladimir Putin, na Suécia

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Um casal tentou registrar seu filho como Vladimir Putin, mesmo nome do presidente da Rússia, mas teve pedido negado pela agência nacional de administração tributária da Suécia, chamada Skatteverket. Para definir a identidade do bebê, agora os pais devem entrar com uma nova solicitação. Todos os recém-nascidos precisam ter seus nomes aprovados pelo órgão fiscal durante seus três primeiros meses de vida.

O portal de notícias "The Local" citou informações obtidas pela emissora de rádio pública do país, "SR", divulgadas na segunda semana de setembro. Segundo a legislação sueca, nomes próprios não devem ofender nem causar desconforto ou outros problemas ao indivíduo, como também não podem se parecer com sobrenomes ou que sejam inadequados "por alguma razão óbvia". O mesmo se aplica aos adultos que desejarem mudar de identidade. Nomes já rejeitados foram Allah, Q, Ford e Pilzner, mas alguns chamativos acabaram sendo aprovados, como Metallica e Google.

No caso em questão, não ficou explicitada qual regra não foi atendida.

Dados sobre a população sueca mostram que há aproximadamente 1,4 mil pessoas chamadas Vladimir, mas acredita-se que não houve registros até o momento de alguma delas acompanhada por "Putin", já que o serviço de estatísticas não expõe informações específicas abaixo de dois habitantes, por motivos de privacidade.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos