Agência de proteção de dados italiana pede esclarecimentos ao Facebook sobre atividades eleitorais

Comício de coalizão de centro-direita em Roma

MILÃO (Reuters) - A Agência de Proteção de Dados da Itália pediu ao Facebook que esclareça as atividades em que se envolveu antes das eleições nacionais que acontecerão domingo no país, informou o órgão nesta quinta-feira.

A gigante da tecnologia Meta, dona de plataformas de mídia social como Facebook e Instagram, lançou uma campanha de informação visando potenciais eleitores italianos antes de uma eleição parlamentar marcada para 25 de setembro.

A iniciativa, que a Meta diz ter como objetivo combater a interferência e remover conteúdo que desencoraja a votação, inclui uma colaboração com organizações independentes de verificação de fatos e o uso de um Centro de Operações Virtual para identificar possíveis ameaças em tempo real.

O Facebook terá que fornecer "informações detalhadas" sobre a iniciativa, a natureza do processamento de dados, bem como as medidas tomadas para garantir que a iniciativa seja levada apenas a pessoas com 18 anos ou mais, disse o órgão de vigilância.

Um porta-voz da Meta disse que as "ferramentas da empresa para as eleições italianas foram expressamente projetadas para respeitar a privacidade dos usuários e cumprir o Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDPR)”.

"Estamos cooperando com a Autoridade de Proteção de Dados da Itália para explicar como estamos trabalhando para ajudar a proteger a integridade das eleições italianas e conectar as pessoas a informações eleitorais confiáveis do Ministério do Interior", disse o porta-voz.

(Reportagem de Federico Maccioni e Elvira Pollina)