Agência reguladora da UE analisa morte de mulher na Bélgica após vacina da J&J

·1 minuto de leitura
Pandemia contra Covid-19

LONDRES (Reuters) - A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) disse nesta quarta-feira que está analisando a morte de uma mulher na Bélgica que teve um coágulo sanguíneo e contagem baixa de plaquetas depois de receber a vacina contra Covid-19 da Johnson & Johnson, o primeiro relato de uma fatalidade após a vacina.

A EMA disse que pediu que a farmacêutica norte-americana realize uma série de estudos adicionais para ajudar a avaliar um elo possível entre a vacina e um problema raro de coágulo conhecido como síndrome de trombose com trombocitopenia.

A entidade disse que está estudando o caso belga com outros relatos de coágulos sanguíneos com as agências de medicamentos belga e eslovena.

Mais cedo nesta quarta-feira, a Bélgica suspendeu o uso da vacina contra Covid-19 da Janssen (J&J) em pessoas de menos de 41 anos após a morte de uma mulher que foi hospitalizada com trombose grave e deficiência de plaquetas.

Há relatos de que ela era eslovena, mas a Reuters não conseguiu confirmá-lo.

Até 20 de maio, mais de 1,34 milhão de doses da vacina da Janssen haviam sido administradas na União Europeia, disse a EMA.

A EMA e autoridades nacionais continuarão a monitorar a segurança e a eficácia da vacina e a providenciar mais atualizações, se necessário, disse a agência.

(Por Josephine Mason)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos