Agência reguladora da UE estuda terapias contra Covid-19 de Lilly e Regeneron

·1 minuto de leitura
Agência Europeia de Medicamentos (EMA) em Amsterdã

(Reuters) - A agência reguladora de medicamentos da Europa disse nesta quinta-feira que está analisando dados de terapias de anticorpos contra Covid-19 desenvolvidas pelas farmacêuticas norte-americanas Eli Lilly e Regeneron para uso em alguns pacientes.

Duas análises diferentes de tratamentos combinados das farmacêuticas foram iniciados com base em testes com pacientes de Covid-19 que não precisam de amparo de oxigênio e correm risco alto de piora do quadro, disse a Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

A terapia combinada de dois anticorpos, bamlanivimab e etesevimab, da Eli Lilly, ajudou a diminuir o risco de hospitalização e morte de pacientes de Covid-19 em 70%, mostraram dados de um teste de estágio avançado em janeiro.

O coquetel de casirivimab e imdevimab, da Regeneron, recebeu autorização para uso emergencial nos Estados Unidos em novembro, e foi administrado ao ex-presidente norte-americano Donald Trump quando ele teve infecção de Covid-19.

Os quatro remédios são combinações de uma classe de medicamentos conhecida como terapia de anticorpos monoclonais, ou cópias fabricadas de anticorpos criadas pelo corpo humano para combater infecções.

A EMA também disse que está estudando o uso do bamlanivimab da Lilly como terapia única. O remédio já recebeu aprovação de uso emergencial em pacientes de alto risco com Covid-19 entre amena e moderada nos EUA.

Qualquer recomendação do comitê de medicamentos para humanos da EMA terá que ser aprovada formalmente pela Comissão Europeia.

(Por Pushkala Aripaka en Bengaluru e Josephine Mason em Londres)