Agência sanitária confirma propagação comunitária de varíola dos macacos na Inglaterra

Tubos de ensaio com rótulos sobre vírus da varíola dos macacos em foto ilustrativa

Por Natalie Grover

LONDRES (Reuters) - A varíola dos macacos parece estar se espalhando de pessoa para pessoa na Inglaterra, afirmou a Agência de Segurança de Saúde do Reino Unido (UKHSA, na sigla em inglês) nesta quarta-feira.

Entende-se que a doença viral, normalmente leve e endêmica nas regiões ocidental e central da África, se propaga pelo contato próximo. Até o início de maio, eram raros os casos que se estendiam para fora do continente africano ou que não tinham ligação direta com viagens até lá.

"O atual surto é a primeira vez que o vírus se propaga de uma pessoa para outra na Inglaterra e onde ligações de viagem com um país endêmico não foram identificadas", anunciou a agência.

De acordo com a UKHSA, a maioria dos casos no Reino Unido --132-- estão em Londres, enquanto 111 casos foram identificados em homens gays, bissexuais ou que tenham relações sexuais com outros homens. Apenas dois casos são em mulheres.

Viagens recentes a outros países na Europa dentro de 21 dias a partir do início dos sintomas foram relatadas em 34 dos casos confirmados, ou cerca de 18% dos 190 casos da doença que foram confirmados no Reino Unido até o dia 31 de maio.

Até agora, a UKHSA identificou ligações a bares gays, saunas e ao uso de aplicativos de encontros no Reino Unido e no exterior.

"As investigações continuam, mas até agora nenhum fator único ou exposição que ligue os casos foi identificado", alertou a agência.

(Reportagem de Natalie Grover em Londres)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos