Agência suíça analisa vacina experimental do laboratório Moderna

·2 minuto de leitura
Documentos da Moderna nos Research Centers of America em Hollywood, Flórida, 13 de agosto de 2020
Documentos da Moderna nos Research Centers of America em Hollywood, Flórida, 13 de agosto de 2020

A Swissmedic, a agência suíça de medicamentos, iniciou a análise da vacina experimental contra a covid-19 do laboratório americano Moderna, que apresentou um pedido de autorização, anunciou nessa sexta-feira, recordando que as solicitações para as vacinas da AstraZeneca e Pfizer/BioNTech já estão sob revisão.

A solicitação do laboratório Moderna será iniciada como parte de um procedimento de revisão contínua, que permite avaliar os dados assim que estiverem disponíveis e atualizá-los sem esperar os resultados finais de todos os estudos em andamento, disse em um comunicado.

A agência suíça de medicamentos pode assim “ter uma ideia inicial do perfil benefício/risco” das vacinas em estudo, antes mesmo de os ensaios clínicos realizados para a sua autorização estarem totalmente concluídos, tornando possível iniciar rapidamente a sua avaliação e assegurando ao mesmo tempo uma análise cuidadosa de sua segurança, eficácia e qualidade. 

A empresa de biotecnologia americana já apresentou dados sobre aspectos pré-clínicos, sobre os primeiros aspectos clínicos, bem como sobre a qualidade da preparação da vacina em estudo, chamada mRNA-1273. 

A agência suíça de medicamentos já havia recebido em outubro os primeiros pedidos para examinar as vacinas da AstraZeneca, e depois da Pfizer. 

Em agosto, a Confederação já havia assinado contrato com Moderna para a compra de 4,5 milhões de doses para garantir à Suíça acesso rápido a essa vacina. 

Embora a Suíça conte com uma grande indústria farmacêutica que contribui com quase 20% de suas exportações, seus grandes laboratórios não estão envolvidos na corrida das vacinas, tendo a Novartis vendido suas últimas atividades neste campo em 2015 como parte do uma grande reorganização de seu portfólio de tratamento.

O grupo suíço Lonza, que é um dos maiores fornecedores da indústria farmacêutica, por outro lado assinou contrato de fornecimento com a Moderna em maio para fornecer-lhe os componentes necessários à fabricação de sua vacina.

noo/vog/bh