Síria diz que mais de 40 mil civis saíram ontem de Ghouta Oriental

Nações Unidas, 16 mar (EFE).- O governo sírio garantiu nesta sexta-feira na Organização das Nações Unidas (ONU) que mais de 40 mil civis saíram nesta quinta-feira de Ghouta Oriental, o principal reduto opositor nos arredores de Damasco.

O número apresentado pelas autoridades é aproximadamente o dobro do calculado ontem pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos. A evacuação, de acordo com o embaixador sírio na ONU, Bashar Jaafari, aconteceu através de um corredor aberto pelas autoridades sírias e foi coordenado pelo governo e pela Cruz Vermelha.

Jaafari acusou a grupos rebeldes de usarem civis como "escudo humano" e disse que ainda estão impedindo muitos de usarem os corredores abertos para sair da região.

O diplomata defendeu que o seu país está assumindo uma "enorme responsabilidade" para cumprir os pedidos do Conselho de Segurança da ONU e aliviar o sofrimento dos civis. Ele fez um discurso perante o próprio Conselho de Segurança, que hoje analisa a situação na Síria.

O mediador das Nações Unidas para o conflito, Staffan de Mistura, reiterou que a organização não está participando deste processo de evacuações, por isso não tem informação rápidas. Mistura destacou que, qualquer deslocamento de civis, deve acontecer em pleno respeito com a lei internacional e assegurando que possam ir aonde decidam.

O diplomata, por videoconferência de Bruxelas, disse ao Conselho que o cessar-fogo pactuado entre a Rússia e a facção rebelde Exército do Islã em Douma, a principal cidade de Guta Oriental, é uma "pequena boa notícia" num mar de dificuldades.

Segundo ele, o que demonstra esse acordo, respeitado em geral durante os últimos dias, mas que não aconteceu em outras partes de Ghouta Oriental, é que quando existe vontade política as soluções para aliviar a situação dos civis podem ser alcançadas. EFE