Agentes da Polícia do Capitólio processam Trump por invasão do Congresso dos EUA

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Sete policiais do Capitólio processaram o ex-presidente Donald Trump e membros de grupos extremistas de direita por causa do ataque de 6 de janeiro ao Congresso. (AFP/Joseph Prezioso)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Sete agentes da Polícia do Capitólio dos Estados Unidos apresentaram um ação contra o ex-presidente republicano Donald Trump e membros de grupos extremistas de direita nesta quinta-feira (26), acusando-os de serem os responsáveis diretos pela invasão do prédio do Congresso em 6 de janeiro.

A ação foi movida em Washington pelo Comitê de Advogados para Direitos Civis em nome de sete policiais do Capitólio que lutaram para tentar impedir a invasão do prédio por partidários de Trump.

Entre os citados no processo estão Trump, seu comitê de campanha (da eleição de 2020), o aliado do ex-presidente Roger Stone e membros dos grupos extremistas de direita Proud Boys, Oath Keepers e Three Percenters.

O processo é um dos vários que foram movidos contra Trump pela tentativa de milhares de seus apoiadores de evitar a certificação no Congresso da vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais de novembro de 2020.

Nesse sentido, a ação judicial alega que os simpatizantes realizaram um “esforço ilegal de uso da força, intimidação e ameaças para impedir o Congresso de certificar os resultados das eleições presidenciais de 2020”.

“Devido às ações ilegais dos réus, os autores foram violentamente agredidos, cuspidos, pulverizados com gás lacrimogêneo e spray de pimenta, submetidos a insultos e expressões racistas e temeram por suas vidas”, afirma a denúncia.

Cinco dos policiais que iniciaram o processo são negros.

Damon Hewitt, presidente e executivo-chefe do Comitê de Advogados, disse que o ataque de 6 de janeiro "foi uma tentativa descarada de sufocar os votos e as vozes de milhões de americanos, especialmente os eleitores negros".

"Durante meses após a convocação oficial para as eleições de 2020, o ex-presidente Trump e seus associados fizeram tentativas coordenadas e sistemáticas de apresentar suas falsas alegações de fraude eleitoral", disse Hewitt.

“As mentiras desta conspiração intencionalmente fortaleceram os supremacistas brancos e grupos extremistas violentos e os encorajaram a coordenar o ataque violento ao Capitólio,” justificou.

A violenta invasão deixou cinco mortos e dezenas de policiais feridos. Após o golpe, milhares de membros da Guarda Nacional e da Polícia foram mobilizados em Washington para evitar novos distúrbios.

cl/sw/llu/lda/jc/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos