Agentes penitenciários que acompanharam secretário em encontros com traficantes foram promovidos quatro dias após viagem

·3 minuto de leitura

Os dois policiais penais presos nesta terça-feira com o secretário de Administração Penitenciária do Rio, Raphael Montenegro, foram promovidos dias depois de acompanharem o titular da pasta numa visita a traficantes de alta periculosidade que cumprem pena no Presídio Federal de Catanduvas, no Paraná. As conversas com os detentos, conduzidas pelo secretário e com a presença e participação — segundo a Polícia Federal (PF) e a Justiça — de Sandro Faria Gimenes e Wellington Nunes da Silva, ocorreram nos dias 27 e 28 de maio deste ano. Quatro dias depois, graças a um decreto do governador Cláudio Castro com data de 2 de junho, a dupla ganhou novos cargos dentro da Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap).

Até então, Sandro ocupava o cargo de coordenador na Seap, enquanto Wellington era superintendente operacional da pasta. Após se juntar ao chefe na empreitada que motivou as prisões desta terça-feira, Wellington subiu na hierarquia e virou subsecretário, abaixo apenas do próprio Montenegro. Já Sandro herdou o posto do colega e assumiu como superintendente operacional. Todas as movimentações constam no Diário Oficial publicado no dia 7 de junho, com validade retroativa a partir do primeiro dia do mesmo mês.

De acordo com as investigações da PF, responsável pela prisão do trio, Wellington e Sandro estavam presentes quando o secretário reuniu-se com o chefe da principal facção crimosa do Rio, Márcio dos Santos Nepomuceno, o Marcinho VP. A presença da dupla no encontro, bem como nas conversas com outros traficantes de alta periculosidade que encontram-se cumprindo pena no Paraná, é um dos motivos citados pelo desembargador Paulo Cesar Morais Espírito Santo para justificar a decretação da prisão temporária de ambos.

"Com efeito, destaco que além de Raphael, os representantes da Seap-RJ, Sandro e Wellington também participaram ativamente das entrevistas, notadamente com os presos Fabiano Atanásio da Silva (FB) e Rodrigo da Silva Rodrigues (Tineném)", destaca Espírito Santo na decisão.

Os encontros com os traficantes foram registrados por escutas autorizadas pela Justiça. Nos diálgos transcritos, embora a condução das tratativas coubesse prioritariamente a Raphael Montenegro, Sandro e Wellington também chegam a se manifestar em vários momentos. Em um dos trechos, uma pessoa identificada como "Sandro Faria ou Wellington" diz a Fabiano Atanásio, traficante conhecido como FB: "Por isso que nós estamos aqui, porque os três aqui têm palavra".

"Ademais, não soa minimamente crível que Sandro e Wellington, pessoas de confiança de Raphael, tenham ido pessoalmente à Penitenciária Federal de Catanduvas sem que não tivessem conhecimento do que seria abordado pelo secretário e quais eram as intenções deste ao entrevistas os presos de altíssima periculosidade", frisa o desembargador em outra passagem da decisão sobre a prisão.

Os dois policiais penais já ocuparam cargos relevantes na Seap em gestões anteriores, inclusive em outros momentos polêmicos envolvendo a pasta. Durante a gestão do coronel Erir Ribeiro da Costa Filho, entre março de 2015 e janeiro de 2018, Sandro comandou a Coordenação das Unidades Prisionais do Grande Rio, enquanto Wellington chegou a ocupar o mesmo posto de superintendente operacional. Acusado de permitir regalias para o ex-governador Sérgio Cabral, Costa Filho só deixou o cargo por determinação judicial.

O coronel, que foi comandante-geral da Polícia Militar durante o governo de Cabral, teria autorizado, em novembro de 2017, a doação e instalação de equipamentos para uma videoteca que funcionaria na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, na Zona Norte do Rio, onde o ex-governador e outros alvos da Operação Lava-Jato estavam presos. Pouco mais de um mês depois, a ex-primeira dama Adriana Ancelmo, detida na Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, na Zona Oeste, teria desfrutado, dentro da cela, de generosas ceias de Natal e de Ano Novo, com refeições fora dos padrões da Seap.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos