Aglomeração marca retorno de aulas 100% presenciais em Manaus; professores e pais temem a variante delta

·2 minuto de leitura
Colégio Militar da Polícia Militar II - Cidade Nova, Zona Norte de Manaus.
Colégio Militar da Polícia Militar II - Cidade Nova, Zona Norte de Manaus.
  • Cerca de 230 mil alunos retornaram para ao colégios na cidade;

  • No último boletim da Fundação de Vigilância em Saúde, foram registrados 173 novos casos de Covid-19, totalizando 422.868 casos da doença no estado;

  • Sindicato de professores vai abrir canal de denúncias para receber as ocorrências enviadas por pais e alunos.

Escolas estaduais da capital do Amazonas, Manaus, tiveram seu primeiro dia de aula 100% presencial marcado por aglomerações e descumprimento dos protocolos sanitários. Cerca de 230 mil alunos retornaram para ao colégios na cidade - a primeira do país a ser atingida pela pandemia e com covas abertas nos enterros de pessoas que foram mortas pelo vírus. 

O sindicato de professores, junto com pais de alunos, dizem temer a variante delta, que já soma pelo menos seis casos de infecção na capital. Imagens feitas por alunos e professores mostram salas de aula lotadas, sem ventilação e aglomeração na porta dos colégios. 

Em Manaus, salas de aula tem lotação máxima e pouca ventilação, dizem os professores.
Em Manaus, salas de aula tem lotação máxima e pouca ventilação, dizem os professores.

Uma mãe que aluna da Escola Estadual Hilda Tribuzi, na zona norte de Manaus, disse temer a ida da filha para a escola diante dos casos da variante. "Eu não concordo com a volta por causa da nova variante, mas sozinha não posso reivindicar. Estamos próximos do final do ano, seria bom se pudéssemos pedir ao governador para manter as aulas remotas"contou. 

No último boletim da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas, foram registrados 173 novos casos de Covid-19, totalizando 422.868 casos da doença no estado.

Leia também:

"Salas de aula e refeitório completamente lotados e muita aglomeração de alunos. Isso é grave, pois é como se não existisse protocolo sanitário”, afirma a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues.

O sindicato vai abrir um canal de denúncias para receber as ocorrências e vai encaminhá-las para o Ministério Público Estadual, Defensoria Pública Estadual, Secretarias Municipal e Estadual de Educação, Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Conselhos Estadual e Municipal de Educação e Comissão de Educação da Câmara Municipal de Manaus e da Assembleia Legislativa do Estado.

O decreto que autoriza as aulas 100% presenciais diz no artigo 3º que as atividades autorizadas deverão ser realizadas com observância dos protocolos sanitários estabelecidos pela Fundação de Vigilância em Saúde – FVS. No documento da fundação – de 21 de julho, o mais recente - diz, entre outras coisas, que: “Na sala de aula as carteiras deverão estar dispostas de modo a respeitar o distanciamento mínimo de 1,5m entre si”. “Vemos total desorganização tanto na teoria quanto na prática. Parece que FVS e Seduc estão falando de situações distintas. 

Manaus vacina adolescentes a partir de 12 anos contra a Covid-19

Nesta segunda-feira, a capital seguiu na aplicação do imunizante contra a Covid-19 para o público de 12 a 17 anos. Para quem for tomar a primeira dose, é exigida a presença de um responsável, maior de 18 anos, que se não forem os pais, deverá assinar uma declaração no verso do comprovante de residência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos