Agnaldo Timóteo, morto por Covid, é enterrado sob aplausos em cemitério do Rio

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 03.04.2021 - O cantor Agnaldo Timóteo morreu neste sábado, dia 3, aos 84 anos. Ele estava internado desde o dia 17 de março, após receber diagnóstico de Covid-19.  ***ARQUIVO*** ***ESPECIAL*** AGSP - Sao Paulo, SP - 05.12.2008 - Cidades - Os vereadores de Sao Paulo disputam os melhores gabinetes da camara municipal para a nova gestao. Os gabinetes sao de tamanhos diferentes e alguns foram  reformados. Foto: o vereador Agnaldo Timoteo mudara para o gabinete da Bispa Lenice que foi reformado. ( Diego Padgurschi /Folha Imagem) ***ESPECIAL*** ORG XMIT: AGEN1011221218599200
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 03.04.2021 - O cantor Agnaldo Timóteo morreu neste sábado, dia 3, aos 84 anos. Ele estava internado desde o dia 17 de março, após receber diagnóstico de Covid-19. ***ARQUIVO*** ***ESPECIAL*** AGSP - Sao Paulo, SP - 05.12.2008 - Cidades - Os vereadores de Sao Paulo disputam os melhores gabinetes da camara municipal para a nova gestao. Os gabinetes sao de tamanhos diferentes e alguns foram reformados. Foto: o vereador Agnaldo Timoteo mudara para o gabinete da Bispa Lenice que foi reformado. ( Diego Padgurschi /Folha Imagem) ***ESPECIAL*** ORG XMIT: AGEN1011221218599200

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O corpo de Agnaldo Timóteo foi enterrado no cemitério Jardim da Saudade, na zona oeste do Rio, neste domingo (4). O cantor morreu no sábado (3), aos 84 anos, após 17 dias internado com Covid-19.

A cerimônia contou com poucos amigos e familiares, devido às restrições causadas pela pandemia. O sobrinho dele, Timotinho, era um dos mais emocionados. Ao final do sepultamento, houve aplausos.

Timóteo perseguiu por anos espaços em rádios, de cidade em cidade. O mineiro nascido em Caratinga, no dia 16 de outubro de 1936, gravou um disco de algum sucesso, com título ambicioso, "Surge um Astro", em 1965. Este e o disco seguinte eram repletos de versões em português de hits internacionais.

Em 1972, seu sucesso com a canção "Os Brutos Também Amam", de Roberto e Erasmo Carlos, o aproximou do emergente filão da música brega. No programa de Silvio Santos, chegou a cantar essa música dentro de uma jaula com um leão. Velho e meio banguela, mas ainda assim um leão.

O grande salto na carreira foi em 1975, quando ele definitivamente mirou o público do som brega. Em comparação com fenômenos de venda do gênero, como Odair José, Waldick Soriano e Reginaldo Rossi, Timóteo tinha um diferencial: o vozeirão poderoso, com tons graves que alcançavam um volume impressionante. Em shows, gostava de dispensar o microfone por um momento e exibir toda a potência da voz.

Nos seus últimos anos de vida, ele passou a causar polêmica por dar muitas declarações homofóbicas. Sem emplacar um hit há décadas, ele parecia haver encontrado um jeito de se manter em evidência.

A morte foi lamentada por diversos famosos nas redes sociais. "Que tristeza... Meu carinho aos familiares, amigos e fãs", escreveu Patricia Pillar no Twitter. Marcelo Adnet lembrou que Timóteo torcia para o Botafogo, assim como ele. "Vá com Deus, grande botafoguense. Lamentável fase do nosso país. Cuidem-se", publicou.

"Descanse em paz, Agnaldo Timóteo, meus sentimentos aos familiares e fãs!", escreveu Wesley Safadão. A apresentadora Sônia Abrão lamentou perder o "amigo de tantas lutas".

"Que notícia triste , meu Deus! Agnaldo Timóteo se foi...mais um perdendo para esta maldita Covid-19", afirmou Roberta Miranda.