Agressor em aeroporto parisiense gritou: "Estou aqui para morrer por Alá"

O procurador de Paris, François Molins, em Paris, em 18 de março de 2017

O francês de 39 anos abatido neste sábado ao tentar pegar a arma de uma militar no aeroporto parisiense de Orly gritou: "Estou aqui para morrer por Alá", declarou o procurador da capital francesa, François Molins.

Ziyed Ben Belgacem, que tinha antecedentes penais, atacou os militares que patrulhavam o aeroporto e disse: "Deponham as armas, estou aqui para morrer por Alá. De todas as formas haverá mortos", disse o procurador em uma coletiva de imprensa.

O pai, um dos irmãos e um primo do agressor foram presos, após se apresentarem voluntariamente ante a polícia.

A procuradoria abriu uma investigação por tentativa de homicídio e tentativa de assassinato contra autoridade pública em relação com projeto terrorista.

Uma hora e meia antes do ocorrido, durante uma blitz em uma estrada ao norte de Paris, o mesmo homem havia disparado contra agentes de polícia com uma pistola de ar comprimido, ferindo levemente um deles na cabeça.

Pouco depois, roubou um carro a 30 km do local, antes de se dirigir ao Aeroporto de Orly.

Tudo isso mostra "uma espécie de fuga para a frente, com um processo cada vez mais destrutivo que vai crescendo visivelmente (...) com intenções criminosas", afirmou Molins.

Antes de atacar a soldado no terminal sul de Orly, o indivíduo "jogou no chão uma mochila com um galão de combustível". Também carregava um isqueiro, um maço de cigarros, 750 euros e um Alcorão.