Ainda adolescente, príncipe William alertou Diana sobre jornalista que conduziu polêmica entrevista

O Globo
·2 minuto de leitura
Getty

Vinte cinco anos depois, a bombástica entrevista de Diana ao "Panorama", da BBC, em que contou detalhes sobre as traições de Charles, segue rendendo. Depois de vir à tona acusações de que o jornalista e apresentador Martin Bashir teria usado meios escusos para conseguir convencê-la a participar do programa, o ex-namorado de Lady Di, Hasnat Khan, falou à "BBC" que até o príncipe William, na época, alertou a mãe de que o repórter não estava sendo totalmente verdadeiro.

"Mamãe, Martin Bashir não é uma boa pessoa", teria dito William, com apenas 13 anos.

Khan, um cirurgião que se relacionou com Lady Di por dois anos, disse também que o jornalista encheu a "cabeça de Diana de lixo" e chegou a aconselhá-la a não mais ter contato com o profissional. Bashir foi acusado, dentre outras coisas, de falsificar extratos bancários para provar que um ex-segurança estava recebendo dinheiro do palácio de Buckingham para segui-la.

"Uma de suas qualidades mais atraentes era sua vulnerabilidade. Foi o que a tornou querida para o público. Mais tarde, percebi que Martin escolheu essas vulnerabilidades e as explorou. Ele foi muito persuasivo com Diana. Era tudo sobre ele ser da BBC, sendo respeitável e até mesmo muito piedoso. Mas ele encheu a cabeça dela com lixo, como aquela coisa sobre a babá Tiggy (Legge-Bourke) estar grávida de um filho de Charles", disse Khan.

A entrevista

Realizada em 1995 no Kensington Palace, a conversa de Diana com Bashir teve recorde de audiência, totalizando 23 milhões de pessoas sintonizadas no canal. No programa, a princesa falou a famosa frase "Havia três pessoas nesse casamento", referindo-se a Camilla Parker-Bowles, amante do príncipe Charles na época.

No programa, ela ainda falou sobre a bulimia, uma "doença secreta" que sofria há anos.

“Bulimia desenfreada e apenas uma sensação de não ser boa em nada. Era um sintoma do que estava acontecendo no meu casamento. Estava gritando por ajuda, mas dava os sinais errados, e as pessoas estavam usando minha bulimia como um casaco no cabide. Eles decidiram que era esse o problema: 'Diana era instável'. A causa foi a situação em que meu marido e eu tínhamos que manter porque não queríamos decepcionar o público e, ainda assim, obviamente havia muita ansiedade acontecendo dentro das nossas quatro paredes."