Ainda foragido, 'Serial Killer' do DF pode pegar 300 anos de prisão

·2 minuto de leitura
<p>Na manhã desta terça-feira (15), Lázaro Barbosa Souza, chamado de “serial killer do DF” nas redes sociais, foi visto por um caminhoneiro de frete da região de Edilândia (GO) ao atravessar a BR-070 e adentrar uma área de mata.</p>

Na manhã desta terça-feira (15), Lázaro Barbosa Souza, chamado de “serial killer do DF” nas redes sociais, foi visto por um caminhoneiro de frete da região de Edilândia (GO) ao atravessar a BR-070 e adentrar uma área de mata.

  • Ele é acusado de sete crimes, incluindo assassinatos

  • Lázaro Barbosa de Sousa está foragido da polícia

  • No entanto, se for preso só ficará em reclusão por até 40 anos

Lázaro Barbosa de Sousa, conhecido também como “Serial Killer do Distrito Federal”, já acumula sete inquéritos contra si. Além da chacina da família Vidal, que ocorreu na madrugada de quarta-feira (9), ele é acusado de quatro roubos a chácaras, sendo o primeiro e 17 de maio, e um roubo seguido de estupro, em 26 de abril. Ao todo, seus crimes podem levar a uma pena de até 320 anos de prisão.

O delegado-chefe da 24ª Delegacia de Polícia (Setor O), Raphael Seixas, comanda a investigação de cinco crimes cometidos por Lázaro: os roubos e o ataque à família Vida. Ele avalia que “pode ser que surjam outros delitos”.

Ele informou também que que a invasão a uma chácara no dia 17 de maio, que pertenciam a parentes da família Vidal, é investigada pela 19ª DP (P Norte). "O registro ocorreu aqui na 24ª, mas, depois de a foto do suspeito ser divulgada pela imprensa, uma vítima reconheceu, veio à delegacia para avisar, e a investigação foi transferida", explica.

Leia também:

Já Adriana Romana, que chefia a Delegacia de Atendimento à Mulher (Deam 2), é responsável pela ocorrência do roubo seguido de estupro de mulher que estava grávida, em Sol Nascente. Temos provas objetivas de que ele é o autor. Quando cometeu o crime, não sabíamos, mas a confirmação veio na semana passada, por meio de identificação civil com impressões digitais", afirma.

Os crimes cometidos por Lázaro no Distrito Federal podem somar mais de 320 anos de reclusão, de acordo com o cálculo do advogado criminalista Alexandre Carvalho, ouvido pelo jornal Correio Braziliense. Ele pode ser condenado por violação de domicílio, sequestro, quatro homicídios e por latrocínio — roubo seguido de morte. "É preciso analisar se ele entrou para matar ou roubar. Se houve assassinato após assalto, a violação domiciliar é descartada, mas a pena começa a aumentar", disse o advogado.

Carvalho explica que Lázaro só será julgado em tribunal do júri no caso de os crimes serem considerado homicídios. "Vislumbro 320 anos de cadeia. Hoje, a pena pode ser cumprida por até 40 anos em reclusão. Depois disso, ele será solto", explica.

O prazo máximo tem relação com o Princípio da Dignidade da Pessoa Humana, da Organização das Nações Unidas (ONU), do qual o Brasil é signatário. "Na hora de aplicar a pena, o juiz observa se o crime é continuado (praticado em um período de 30 dias após outro) ou não. Se for o caso, ela aumenta", afirma.

O foragido pode ainda ser condenado por uma tentativa de homicídio, por ter atirado contra um policial e o acertado de raspão no rosto na terça-feira (15), na região de Edilândia (GO). Na hora do ocorrido, ele fazia três pessoas reféns. O agente foi levado ao hospital de Anápolis (GO) e apresentava quadro estável.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos