Alçada a musa do Flamengo, Carol Portaluppi nega entrevistas a pedido do pai e tem evitado a praia com o aumento do assédio

·4 minuto de leitura

Quando o Flamengo entrar hoje em campo, na partida contra o América-MG pelo Brasileirão, não será diferente. Carol Portaluppi vai convocar a torcida por suas redes sociais, como faz todo jogo, e depois comemorar a vitória, se ela vier (nas derrotas, geralmente, ela prefere o silêncio). Apesar de já ter dito ser torcedora do Grêmio, a geminiana de 27 anos não se importa de ser vira-casaca. Seu time do coração é o que está sendo comandado no momento pelo pai. Desde que Renato Gaúcho se tornou o técnico do rubro-negro carioca, ela foi alçada involuntariamente ao posto de musa do time. Título que tem suas glórias, mas também um preço.

Carol Portaluppi já não bate ponto na praia com tanta frequência como fazia antes, para a tristeza dos paparazzi de plantão. Ela costumava frequentar as areias do Leblon, próximas ao apartamento em que mora sozinha no mesmo bairro. Agora, quando vai, está quase sempre acompanhada de Renato, que gosta de jogar futevôlei com velhos amigos nos dias de folga. O assédio da imensa torcida do Flamengo tem dificultado sua paz nos mergulhos. “Suas aparições têm sido mesmo mais raras. Fica muita gente em cima quando ela está”, conta um paparazzo cativo da região.

A musa tem preferido aproveitar o sol nas viagens que faz a praias mais desertas, como as da Bahia, seu lugar preferido no mundo. Carol gosta de dizer que nasceu por engano no Rio, e que tem alma e espírito baianos.

Veja também: Novo affair de Rebeca Andrade é carioca, capitão do Corpo de Bombeiros e tem 29 anos

Piadas machistas

O assédio, muitas vezes vindo em forma de piadas machistas, também aumentou nas redes sociais. “Sem piadinhas”, escreve ela com frequência no Twitter. Os comentários em seu perfil no Instagram, com 2,3 milhões de seguidores, são liberados, embora sejam monitorados pela equipe que a ajuda a cuidar da conta.

De um tempo para cá, Carol resolveu não seguir mais ninguém para evitar fofocas. Ela sabe que tem muita gente de olho. Muitas das mensagens em seu perfil, por exemplo, sugerem um romance entre ela e o atacante Gabigol. Tal situação fez a beldade quebrar o silêncio recentemente. “Eu mal o conheço. É só não quero mais essas brincadeiras”, disse ela à coluna, irritada com os boatos.

Nos últimos tempos, ela não tem dado entrevistas. Carol pede a opinião do pai a cada solicitação que vem da imprensa. Renato não gosta que a filha se exponha. O técnico prefere não proibir, mas, escaldado que é, a desaconselha. “Por ele, ela não dava entrevista nunca”, revela uma fonte. A exposição ela deixa mesmo para o virtual, onde também tem lucrado com publiposts, como ações promovidas por uma cervejaria ou por uma marca de roupa esportiva.

Veja também: Filho de Popó, Juan é estudante de Medicina e namora rapaz que segue a mesma carreira

Vida exposta e 'Playboy'

Mas nem sempre foi assim. A musa já teve a vida muito escancarada quando surgiu como a “filha gata de Renato Gaúcho”. Em 2014, teve uma foto nua vazada na internet. A imagem tinha sido tirada no celular de um ex-namorado. O episódio virou caso de polícia. Depois da polêmica, ela passou uma temporada em Nova York para o assunto esfriar.

No ano seguinte, teve seu nome associado ao de Neymar. Circularam boatos de que ela teria passado uma noite com o jogador num hotel na Barra. Ela negou na época. Alguns meses depois, com a musa cada vez mais em evidência, veio o convite para estrelar a edição de aniversário da “Playboy”. Não teve dinheiro que fizesse Carol ter a permissão do pai para fazer o ensaio.<

Namoros

Seus relacionamentos também passaram a ser acompanhados de perto. Tanto que hoje esse é um assunto que ela prefere manter cada vez mais às escondidas. Carol Portaluppi está sem namorar sério desde o término com o empresário Pedro Ortega, em junho de 2020. Foi seu namoro mais longo e durou quatro anos. “Eles tiveram umas recaídas depois, mas preferiram não reatar”, entrega uma amiga. “Admiro um bom papo e beleza interior, não ligo para aparência”, já disse ela numa entrevista ao EXTRA. Fica a dica.

Não é só do pai, porém, que Carol Portaluppi ouve conselhos, em especial sobre a vida pública. Ela é filha da ex-apresentadora de telejornal Carla Cavalcanti, que optou por uma vida discreta, e sem redes socias, desde que deixou a televisão. A jornalista fez uma rara aparição no último aniversário da modelo, em maio, como mostraram as fotos compartilhadas pela aniversariante na data.

Sobre o futuro, Carol não faz muitos planos. Com a visibilidade nas redes sociais, ela tem a de influenciadora como sua atual profissão. Ela entrou para a faculdade de Jornalismo, mas ainda não se formou. Um de seus sonhos é trabalhar com projetos sociais. Carol já viajou duas vezes como voluntária para a África do Sul. Outro desejo é de ter uma família grande, dois filhos e adotar um terceiro. Pelo desempenho do Flamengo em campo, seu posto de musa, pelo menos, parece estar garantido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos