Al-Qaeda declara guerra ao Estado Islâmico após 'insubordinação'

(Foto: AFP)
(Foto: AFP)


No dia em que se completam 14 anos do atentado terrorista às Torres Gêmeas, nos Estados Unidos, a Al-Qaeda declarou guerra ao Estado Islâmico. Em uma mensagem de áudio, o líder Ayman al-Zawahiri acusou o cabeça do grupo jihadista, Abu Bakr al-Baghdadi, de insubordinação.

“Todos ficaram surpreendidos quando al-Baghdadi se proclamou como o quarto califa da história islamita, sem consultar ninguém", disse Zawahiri na mensagem.

"Preferimos falar o mínimo possível, centrados na preocupação de extinguir o fogo da insubordinação, mas al-Baghdadi e os seus irmãos não nos deixam outra opção, pois exigiram que todos os guerrilheiros renunciassem às alianças e jurassem aliança ao que dizem ser um califado", continua.

LEIA MAIS
Obama faz um minuto de silêncio por aniversário do 11 de Setembro 
Estado Islâmico mata 56 soldados e captura base aérea na Síria

Ayman al-Zawahri já havia classificado a facção Estado Islâmico e seu chefe como ilegítimos. O Estado Islâmico, que controla vastas áreas do Iraque e da Síria, prometeu estabelecer um califado no Oriente Médio.

O grupo assumiu o controle de amplas faixas de território da Síria e do Iraque no ano passado. A reputação do grupo por assassinatos, torturas, conversões forças e até mesmo escravidão provocaram uma fuga em massa de iraquianos e sírios para os países vizinhos, como Líbano, Jordânia e Turquia, antes de viagens arriscadas para a Europa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos