Al-Sadr exige fim do protestos que fizeram 35 mortos

Al-Sadr exige fim do protestos que fizeram 35 mortos

As forças de segurança iraquianas anunciaram o levantamento do recolher obrigatório decretado em todo o país, na sequência dos confrontos na chamada Zona Verde de Bagdade, que resultaram em pelo menos 35 mortos e mais de 250 feridos.

O anúncio surgiu poucos minutos depois do líder xiita Moqtada al-Sadr ter dado uma hora aos seus seguidores para se retirarem da área fortificada na capital iraquiana, palco da violência, bem como das imediações do Parlamento, afirmando que "caso contrário", seriam "excluídos" do seu partido. Al-Sadr aproveitou a alocução para pedir "desculpas ao povo iraquiano".

Depois do influente clérigo xiita ter anunciado, esta segunda-feira, que iria afastar-se "definitivamente" da vida política, os seus seguidores tinham tomado de assalto o Palácio Presidencial e a sede do governo, localizados na Zona Verde, que se converteu rapidamente num campo de batalha.

O Iraque assiste, há vários meses, a uma escalada da crise política, depois do poder judicial e do parlamento terem suspendido atividades e com um governo em funções apenas de forma interina.