Ala do MDB se reúne com Lula, declara apoio a petista e pressiona por desistência de Tebet

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
SÃO PAULO, SP, 18.07.2022 - O ex-presidente Lula participa de reunião com membros do MDB. (Foto: Victoria Azevedo/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 18.07.2022 - O ex-presidente Lula participa de reunião com membros do MDB. (Foto: Victoria Azevedo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Uma ala do MDB se reúne com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em São Paulo, na tarde desta segunda-feira (18), para oficializar o apoio de emedebistas à candidatura do petista à Presidência já no primeiro turno.

Na abertura da reunião, o líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), afirmou que a decisão foi tomada por 11 estados, dos quais 9 tinham representantes na reunião.

"Estamos vindo até a presença do senhor hoje porque tomamos a decisão nos nossos estados de apoiar a sua candidatura", afirmou Braga.

A presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PR), afirmou que o gesto do MDB é "muito importante", que o atual processo eleitoral "é muito diferente de todos os outros" e que o momento exige unidade.

"Essa união de forças que acreditam na luta pela democracia é fundamental para enfrentarmos esse momento."

Gleisi disse que o apoio de representantes do MDB não traz "demérito algum" à senadora Simone Tebet, pré-candidata à Presidência da legenda.

"Quero aqui colocar o meu respeito e consideração à senadora Simone de quem fui colega durante uma parte do meu mandato no Senado. A legitimidade do MDB em apresentar a sua candidatura", afirmou Gleisi.

"Mas acho que estamos, agora, num momento em que temos que unir forças democráticas e progressistas para evitar uma tragédia maior no Brasil. Porque o momento é agora, não temos muito tempo para fazer isso", continuou a parlamentar.

O movimento tende a jogar ainda mais pressão sobre Simone Tebet. A convenção nacional da sigla, que oficializará o nome da senadora como candidata à Presidência será no próximo dia 27.

Participam do encontro emedebistas de nove estados: os senadores Renan Calheiros (AL), Rose de Freitas (ES), Veneziano Vital do Rego (PB), Marcelo Castro (PI) e Eduardo Braga (AM), o ex-governador Renan Filho, os ex-senadores Edison Lobão (MA) e Eunício de Oliveira (CE), o ex-deputado Lucio Vieira Lima (BA) e o presidente do diretório estadual do Rio de Janeiro, Leonardo Picciani.

Eunício afirmou aos presentes que está representando também a figura do ex-governador do Rio Grande do Norte Garibaldi Alves Filho. E Eduardo Braga afirmou estar representando o Pará. Segundo Braga, na semana passada, Lula se reuniu com o governador Helder Barbalho e o senador Jader Barbalho em São Paulo.

Também compareceram os deputados petistas José Guimarães e Marcio Macedo, o deputado Isnaldo Bulhões Jr., líder do MDB na Câmara, o ex-ministro Aloizio Mercadante e o governador de Alagoas, Paulo Dantas (MDB).

Antes de o encontro começar, Dantas afirmou à imprensa que defende que o partido já apoie o nome de Lula no primeiro turno, porque o petista é o candidato "que reúne as condições para o fortalecimento da democracia, da liberdade".

"Quando ele foi presidente ele teve esse comportamento e é o que queremos para o nosso país", continuou.

Dantas diz ainda que irá defender essa posição na convenção nacional do partido. "Vamos defender nas convenções, vamos conversar com todos que fazem o MDB no Brasil para que o partido marche junto para o fortalecimento da nossa democracia. Entendemos que a candidatura do presidente Lula representa isso", diz.

Segundo o governador, a avaliação do MDB de Alagoas é que é preciso uma candidatura forte e competitiva que defenda os interesses do país —e que, na avaliação deles, é a de Lula.

Dantas diz ainda que é "legítimo" que a senadora Simone Tebet pleiteie sua candidatura à Presidência. "Há muitos integrantes do MDB que defendem a candidatura dela e respeito a opinião de todos. Mas a minha opinião é que o MDB siga com o presidente Lula já no primeiro turno."

Este não é o primeiro encontro entre lideranças do MDB e Lula. Em abril deste ano, Eunício Oliveira realizou um jantar para Lula com a presença de algumas figuras de destaque da legenda.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos