Alceu Valença e bonecos gigantes abrem o Carnaval de Olinda nesta quinta

1 / 1
Alceu Valença e bonecos gigantes abrem o Carnaval de Olinda nesta quinta

KLEBER NUNES

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Alceu Valença dá as boas-vindas à folia em Pernambuco nesta quinta-feira (8). Além do cantor, a abertura oficial do Carnaval de Olinda (PE) terá um cortejo com os blocos mais antigos e dos famosos bonecos gigantes da cidade patrimônio histórico.

O desfile das agremiações entre elas, Pitombeira dos Quatro Cantos, Vassourinhas, Homem da Meia-Noite e Cariri começa às 18h (horário local), na praça do Carmo.

No palco, além de Alceu Valença se apresenta o cantor Rogério Rangel.

Olinda (PE) espera receber 2,3 milhões de foliões até a quarta-feira de cinzas (14). Para animar a multidão, no sobe e desce das ladeiras do sítio histórico, serão mais de 1.500 agremiações desfilando pelas ruas.

Com 100% de patrocínio, segundo a prefeitura, serão investidos R$ 8,5 milhões para os sete dias de folia olindense que tem como tema "Terra de gigantes".

RECIFE

Um dia antes da abertura oficial dos festejos no Recife, as nações de maracatu de baque virado estreiam nesta quinta-feira, encerrando a semana pré. Cerca de 700 batuqueiros acompanhados pelo coral feminino Voz Nagô se apresentam na praça do Marco Zero, no Recife Antigo, às 18h (horário local).

A mudança pôs fim ao legado de 16 anos deixado pelo percussionista, Naná Vasconcelos -morto em 2016-, e desagradou os grupos, que foram excluídos da abertura oficial na sexta-feira (9). Este ano, a festa será dedicada ao frevo, que completa neste dia 111 anos.

Antes do toque forte das alfaias (tambores) do maracatu, 24 grupos de afoxé farão pela primeira vez a lavagem simbólica do Marco Zero. A cerimônia "Ubuntu - Uma Consagração ao Povo Negro" para pedir proteção dos orixás ao Carnaval começa às 16h (horário local).

O Carnaval do Recife 2018 será o menor dos últimos quatro anos. Famosa pela descentralização, a festa terá 43 polos espalhados pela cidade. Em 2014, foram 60.

Em termos de investimentos, a folia também será reduzida e custará R$ 26 milhões, sendo R$ 7 milhões em patrocínio. Há quatro anos, a Prefeitura do Recife e a iniciativa privada desembolsaram R$ 33 milhões.