Alckmin anuncia novos integrantes para a transição de 12 partidos diferentes

O vice-presidente eleito e coordenador da transição, Geraldo Alckmin (PSB), disse nesta terça-feira que Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não irá indicar ministros na "correria". Em coletiva no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), ele disse que o petista ainda tem 40 dias até a posse. Por isso, poderia ir escolhendo os nomes aos poucos. Alckmin também anunciou novos nomes que vão integrar grupos temáticos do governo provisório (veja quem são ao final do texto). São representantes de 12 partidos diferentes.

— Sobre os ministros, o presidente Lula tem 40 dias para ir anunciando — disse Alckmin, que citou o seu próprio caso quando foi eleito governador de São Paulo, ocasião em que demorou a anunciar secretários, e acrescentou: — A gente não deve ter essa correria.

Lula chega a Brasília ainda na terça-feira e terá reuniões para discutir nomes para os ministérios. Não há, no entanto, previsão de divulgação de nomes.

Após anunciar a formação de grupos formados por parlamentares, Alckmin foi questionado sobre a ausência de nomes para a área de Defesa. Entre os grupos técnicos, o setor e o grupo de Inteligência Estratégica foram os únicos a não ter indicações até o momento. No início da terça-feira, interlocutores de Lula previam divulgar já começo da tarde os nomes da Defesa. Mais tarde se optou por esperar Lula chegar a Brasília para a divulgação dos integrantes.

— O presidente está vindo para Brasília, nós já temos um esboço dos nomes, e aí vamos anunciar o grupo da Defesa. Talvez amanhã, no máximo quinta-feira. O tema já está bem discutido, estamos ouvindo bastante gente. É importante um bom projeto de defesa estratégica para o país, é extremamente relevante. Estamos amadurecendo propostas, cumprir programa de governo com o que foi estabelecido e ter bons nomes para sua formação. (Teremos no grupo) civis e integrantes das três forças — disse Alckmin.

Logo depois, Alckmin afirmou que as informações sobre a área estão sendo repassadas pela Casa Civil e que não há contato direto com a pasta do governo Jair Bolsonaro.

— Nós não temos tido contato direto ministro com ministro. Até para não romper a relação de transição para transição. Pela lei, o grupo de transição do presidente eleito (fala) através do Ciro Nogueira, a gente sempre se relaciona com a Casa Civil. E quando precisa de informação, se pede a ele, mas vamos ouvir todo mundo. Não há nenhuma dificuldade, está praticamente equacionado.

Nomes anunciados nesta terça-feira: