Alckmin faz ofensiva em busca de votos de jovens e indecisos

O ex-governador Geraldo Alckmin (PSB), candidato a vice na chapa presidencial do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), iniciou uma nova ofensiva em busca de votos de jovens para tentar reverter a vantagem obtida pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) no primeiro turno das eleições em São Paulo. A campanha de Lula tem avaliação de que o voto desse segmento é volúvel e merece atenção.

Em evento organizado pelo fórum da democracia "Direitos Já" num hotel na Zona Sul da capital paulista na noite de quinta-feira, Alckmin ouviu propostas de jovens para fomentar o empreendedorismo no país e demonstrou preocupação com o desemprego entre pessoas de 18 a 24 anos que, segundo o IBGE, é maior nessa faixa etária.

Pesquisa Ipec divulgada na segunda-feira mostra que 7% dos eleitores admitem a possibilidade de reconsiderar suas escolhas para a disputa entre Lula e Bolsonaro. Esse contingente que ainda não consolidou a opção de voto tem em sua composição uma proporção maior de eleitores jovens.

— O grande desafio para nós é gerar emprego e renda — afirmou Alckmin, que tem feito a maior parte das agendas separadas de Lula, numa tentativa de amplificar o alcance da campanha.

Alckmin pregou humildade ao dizer que o segundo turno é uma nova eleição e pediu empenho dos participantes do evento para que tentem virar votos principalmente de pessoas indecisas. Ele tem pedido para que aliados conversem com aqueles que "não votaram" na chapa Lula-Alckmin no primeiro turno.

Alckmin diz que Selic alta reduz ritmo da economia

O ex-governador também voltou defender uma agenda de competitividade no país e uma reforma tributária. Por fim, ainda reclamou do custo de capital no país:

— A taxa Selic está em 13,75%. Isso segura a economia. Vamos ter problemas. O custo do capital é muito alto — disse Alckmin, que também tratou sobre assuntos como governo digital, desenvolvimento sustentável e proteção da Amazônia.

Bolsonaro ficou em primeiro no estado de São Paulo no turno inicial da eleição, com 47,71% dos votos contra 40,89% de Lula. Na capital, o petista venceu por 47,50% contra 37,99%. O atual presidente ficou na frente nas 16 maiores cidades do interior e do litoral.