Alckmin nega que Lula revogará reformas trabalhista e previdenciária e defende reforma tributária

Vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, discursa em cerimônia de sua posse como ministro, em Brasília

SÃO PAULO (Reuters) - O vice-presidente e ministro da Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, disse nesta segunda-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não revogará as reformas trabalhista e previdenciária já aprovadas no Congresso Nacional e defendeu que o caminho agora é realizar uma reforma tributária.

"Foi feita a reforma trabalhista, o presidente Lula tem colocado, não vai revogar nem trabalhista nem previdenciária, o que você pode é aprimorar, até porque o mundo é rápido, é dinâmico", disse Alckmin durante uma reunião com a diretoria da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na sede da entidade na capital paulista.

"O caminho é avançarmos na terceira reforma --feita a trabalhista e a previdenciária-- é a reforma tributária. E aí o papel da sociedade civil organizada será fundamental para a gente poder caminhar", acrescentou.

Em sua fala inicial na reunião da entidade, Alckmin também destacou oportunidades de investimento em infraestrutura para melhorar a logística, assim como na área que chamou de "economia verde".

(Reportagem de Eduardo Simões)