Alckmin reforça apoios de membros do PSDB a Lula em Goiás

Candidato à vice-Presidência, Alckmin reuniu lideranças do antigo partido para sinalizar apoio a Lula ainda no primeiro turno. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)
Candidato à vice-Presidência, Alckmin reuniu lideranças do antigo partido para sinalizar apoio a Lula ainda no primeiro turno. (Foto: EVARISTO SA/AFP via Getty Images)

Atualmente no PSB, o candidato a vice-presidente na chapa de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Geraldo Alckmin, esteve cercado de membros do PSDB, seu antigo partido, nesta quarta-feira (21).

No evento de campanha, o ex-tucano disse que a reunião de adversários históricos do PT representa o resultado do “entendimento da gravidade do Brasil hoje”. As informações são do portal Metrópoles.

A aproximação de Lula com antigos adversários tucanos têm chamado a atenção na última fase da campanha pré-primeiro turno. Em Goiânia, o coordenador da campanha petista é José Eliton, ex-PSDB e atual PSB, que já foi governador de Goiás.

Outros membros do PSDB estiveram presentes no evento desta quarta, como a vereadora Aava Santiago, e o ex-deputado federal e membro da direção nacional da sigla, Giuseppe Vecci.

Em discurso, a parlamentar afirmou que não é momento para trazer à tona “diferenças pequenas, tacanhas e miúdas”. “O momento é de termos consciência da grandeza do Brasil”, destacou Aava.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Alckmin destacou a presença das lideranças como aceno claro à formação da frente ampla. O ex-governador de São Paulo lembrou que ele mesmo já foi adversário de Lula em outros pleitos, assim como ex-correligionários, como José Serra e Fernando Henrique Cardoso.

“Não se pode mentir. Ninguém nunca questionou a democracia”, pontuou.

Questionado pelo portal Metrópoles sobre uma possível declaração de voto de Serra em favor de Lula ainda em primeiro turno, o candidato a vice respondeu que somente José Serra poderá responder.

Outras lideranças tucanas, como ex-senador Aloysio Nunes, já sinalizaram apoio ao petista ainda na primeira fase da disputa. Nas redes sociais, o congressista defendeu Lula de uma comparação feita por Simone Tebet, candidata à Presidência pelo MDB com candidatura apoiada pelo PSDB.

Nesta terça (20), o tucano disse que ela fez contorcionismo ao comparar Lula com Perón: “Perón foi um populista autoritário, o governo de Lula foi popular e democrático”, escreveu Aloysio.

Em sabatina ao Estadão, a emedebista disse que assim como o ex-presidente Argentino Juan Perón, o ex-presidente brasileiro queria ser eleito para se manter no poder.