Alckmin será o coordenador da transição de governo

O vice-presidente da República eleito, Geraldo Alckmin (PSB), será o coordenador da transição de governo. O anúncio foi feito no começo da tarde desta terça-feira pela presidente do PT, Gleisi Hoffmann.

A escolha é um gesto em direção ao centro e está em linha com os discursos feitos pelo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, no da vitória. O petista afirmou que precisará promover um amplo diálogo no país com a participação de vários partidos políticos.

Gleisi e o ex-ministro Aloizio Mercadante, que coordenou o programa de governo da candidatura de Lula, também vão integrar a equipe de transição. A presidente do PT disse ainda que serão designadas também pessoas por áreas.

— Como o Mercadante foi coordenador de programa de governo e tem essa relação com os nossos programas, ele vai estar junto na equipe e eu também vou estar junto na parte da política e na relação com os partidos. Quero deixar claro que vamos ter nessa comissão a participação de todos os partidos que tiveram conosco nessa caminhada — afirmou a dirigente petista.

Gleisi ainda destacou que os indicados para a transição não serão necessariamente ministros.

— Não há decisão sobre ministério. O presidente Lula não abriu essa discussão.

O trio já indicado pelo lado petista vai viajar a Brasília nesta semana para iniciar as discussões sobre a transição.

— Então vamos conversar com as pessoas e queremos começar isso já na próxima quinta-feira, então a nossa proposta ir para Brasília já ter uma reunião presencial com quem for a parte do governo que vai fazer essa essa transição. Para que a gente já possa colocar em operação a equipe de transição — disse Gleisi.

Apesar de o presidente Jair Bolsonaro (PL) ainda não ter reconhecido o resultado da eleição, o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, ofereceu o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) para ser a sede da transição.

Além do coordenador, Lula terá o direito de indicar um total de cinquenta pessoas para compor a equipe de transição. Os nomes serão definidos nos próximos dias.

Na noite desta terça-feira, Lula deve viajar para a Bahia para descansar. Ele ficará em uma praia do estado até o fim da semana, mas deve fazer um ato político em Salvador para agradecer pela votação no Nordeste. Ele teve 69,34% dos votos válidos na região.