Alcolumbre teria trocado favores com atual chefe do TRE-AP, diz revista

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Senador Davi Alcolumbre
Senador Davi Alcolumbre (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
  • Áudios mostram que Davi Alcolumbre teria trocado favores com atual chefe do TRE-AP, diz revista

  • A pedido de desembargador, parlamentar pagou mesada para ex-funcionária do TJ-AP

  • Em troca, esposa do senador foi nomeada para cargo no tribunal

Áudios obtidos pela revista Veja revelam que o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) trocou favores com o desembargador Gilberto Pinheiro, do Tribunal de Justiça do Amapá (TJ-AP).

Segundo a publicação, Tatielle Pereira de Castro era funcionária do TJ-AP até que surgiram rumores sobre um suposto relacionamento entre ela e o desembargador. Em consequência, Tatielle foi exonerada do cargo que ocupava.

Leia também:

Pinheiro, então, teria pedido a Alcolumbre que financiasse uma espécie de auxílio-desemprego para a mulher. Os áudios mostram uma conversa entre o senador e Tatielle, que teria gravado a conversa, sem o conhecimento do parlamentar.

No diálogo, Davi Alcolumbre se compromete a pagar uma mesada à ex-funcionária do TJ durante dois anos, incluindo férias e décimo terceiro- mas de maneira informal, às escondidas, diz a revista. Além disso, o senador se compromete a comprar um carro para Tatielle.

De acordo com a Veja, o valor da mesada seria correspondente ao valor que a esposa de Alcolumbre, Liana Gonçalves de Andrade, receberia como funcionária do TJ-AP.

“A Liana vai ganhar 8 000 reais, só que vai descontar 27,5%. Aí, quando tu coloca na máquina, dá 6 000 reais, quando tu desconta, é o que tu recebe”, disse o senador, ao explicar os cálculos para Tatielle.

Nesse período, Liana ocupou um cargo em uma diretoria subordinada ao desembargador Pinheiro.

Gilberto Pinheiro é hoje presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá. Segundo a Veja, recentemente ele deu um voto decisivo a favor de uma ação movida pelo senador contra a rejeição das contas do diretório estadual do DEM.

O desembargador não se manifestou sobre o assunto. Tatielle afirmou à revista que não se lembrava de ter conversado com Davi Alcolumbre e negou ter recebido dinheiro dele. O senador, por sua vez, divulgou nota, por meio de sua assessoria, de que nunca houve relação com Tatielle Pereira Castro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos