Aldeia vietnamita liberta reféns detidos por disputa de terras com autoridades

Policiais recém-libertados após serem feitos reféns por habitantes de uma aldeia vietnamita, em Hanói em 22 de abril de 2017

Mais de uma dúzia de policias e responsáveis feitos reféns por habitantes de uma aldeia perto da capital vietnamita foram libertados neste sábado, informaram meios públicos, após uma semana que manteve o país apreensivo.

O ato desafiador dos moradores de My Duc, nos arredores de Hanói, incomum no país comunista, começou na semana passada. Os camponeses acusavam as autoridades de expropriar terras comunitárias para uma empresa de telecomunicações controlada pelo exército.

Depois que as autoridades detiveram vários moradores do povoado, incluindo um homem de 82 anos, os outros camponeses fizeram 38 policiais e funcionários do governo reféns.

O prefeito de Hanói, Nguyen Duc Chung, chegou ao local para negociar no sábado. A aldeia permanecia isolada devido a barricadas feitas com troncos, sacos de areis e tijolos.

Depois das negociações, os moradores libertaram os 19 reféns ainda em seu poder, informou o jornal Tuoi Tre.

Outros 16 reféns tinham sido soltos no início da semana, e três tinham fugido. Os aldeões detidos também foram libertados.

"Admitimos que foi um erro reter essas pessoas", declarou um camponês, Bui Van Ky, ao jornal Tuoi Tre, durante o encontro com o prefeito.

"Mas isto foi culpa sua [das autoridades], quando anunciaram que 59 hectares da nossa terra pertenciam ao exército. Isso nos incomodou muito", acrescentou.

O governo comunista vietnamita proíbe estritamente a liberdade de expressão e proíbe os meios de comunicação independentes e dissidentes.