Alemã de 88 anos é condenada por dizer que Holocausto não existiu

Paul Zinken/dpa via AP

Uma alemã de 88 anos foi condenada a seis meses de prisão por negar o assassinato de milhões de judeus na Alemanha Nazista.

De acordo com o Deutsche Welle, Ursula Haverbeck já recebeu outras condenações por refutar o Holocausto e, por isso, recebeu o apelido de “vovó nazista” da mídia alemã.

Desta vez, a acusação envolve um evento em Berlim em janeiro de 2016. Na ocasião, a octagenária afirmou que o Holocausto não existiu e que nada é verdadeiro nas câmaras de gás do antigo campo de Auschwitz. Ela nega e afirma que vai recorrer.

Ela voltará a ser julgada em novembro porque apelou contra dois veredictos emitidos por um tribunal de Detmold depois de enviar uma carta ao prefeito e a vários meios de comunicação negando o genocídio judeu.

Em uma entrevista à televisão, Ursula chegou a declarar que o Holocausto foi “a maior mentira da história”.