Alemanha anuncia que transformará hoteis em hospitais provisórios para atender pacientes do coronavírus

BERLIM e LISBOA — A Alemanha anunciou nesta quarta-feira que transformará hotéis e salas amplas em hospitais para aumentar a capacidade hospitalar para atender pacientes com o novo coronavírus. A criação das estruturas temporárias, que não fornecerão assistência médica comum, deve permitir que os hospitais se concentrem em terapia intensiva, afirmou o governo em comunicado.

A chanceler federal alemã, Angela Merkel, fará pela primeira vez em seus 14 anos no poder um discurso televisionado para pedir que se respeitem as medidas sanitárias. As escolas e a maioria dos estabelecimentos comerciais considerados "não essenciais" já estão fechados ou serão paralisados de maneira gradual.

Em Portugal, o presidente Marcelo Rebelo de Sousa pediu ao Parlamento que autorize um estado de emergência para conter o crescente surto da pandemia. Espera-se que o Parlamento confirme rapidamente a medida, que pode incluir restrições à livre circulação de pessoas e fechamento de empresas. Até o momento, Portugal tem 642 casos confirmados do vírus, com duas mortes.

Na terça-feira, a União Europeia (UE) anunciou pela primeira vez na história o fechamento das suas fronteiras externas por 30 dias, proibindo a entrada de todos os cidadãos de terceiros países, salvo em circunstâncias especiais. O objetivo é tanto conter a expansão do novo coronavírus quanto evitar que controles fronteiriços continuem a ser erguidos entre os 27 países do bloco. Nos dois casos, porém, a medida parece ter chegado tarde demais.

Os líderes, que se reunirão novamente na próxima semana, também concordaram em coordenar o retorno dos europeus retidos em países fora do bloco, anunciou a chanceler alemã, Angela Merkel.