Alemanha assume controle de refinaria russa em meio à crise de energia

FOTO DO ARQUIVO: Refinaria de petróleo PCK em Schwedt

Por Markus Wacket e Paul Carrel

BERLIM (Reuters) - A Alemanha assumiu o controle de uma grande refinaria de petróleo de propriedade russa nesta sexta-feira, arriscando uma retaliação de Moscou, enquanto Berlim se esforça para reforçar o fornecimento de energia e cumprir seu compromisso da União Europeia de eliminar as importações de petróleo russo até o final do ano.

O Ministério da Economia da Alemanha disse que estava colocando uma unidade da petrolífera russa Rosneft sob a tutela do regulador da indústria e assumindo a refinaria Schwedt, que fornece 90% do combustível de Berlim.

"Com a tutela, a ameaça à segurança do fornecimento de energia é combatida e uma pedra fundamental essencial é colocada para a preservação e o futuro de Schwedt", disse o ministério em comunicado.

Governos de toda a Europa estão correndo para sustentar seus fornecedores de energia e garantir o suprimento de combustível à medida que aumentam as sanções à Rússia, seu principal fornecedor, por causa da invasão da Ucrânia.

A Rosneft Deutschland, que era de propriedade majoritária do grupo petrolífero russo e responde por cerca de 12% da capacidade de processamento de petróleo alemã, está sendo colocada sob a tutela do regulador Federal Network Agency.

O regulador disse que o proprietário original não tinha mais autoridade para emitir instruções.

A Rosneft Deutschland e a Rosneft não responderam imediatamente a pedidos de comentários.

A Shell, que detém uma participação de 37,5% na Schwedt, queria vendê-la há algum tempo. A Shell disse na sexta-feira que "não foi afetada" pela decisão alemã de assumir o controle da refinaria.

A refinaria de Schwedt representa um dilema para Berlim há várias semanas, pois recebeu todo o petróleo bruto vindo da Rússia. A Alemanha, no entanto, está decidida a eliminar as importações de petróleo da Rússia até o final do ano.

Ao assumir Schwedt, no entanto, corre o risco de medidas de retaliação de Moscou.

O Ministério da Economia da Alemanha disse que a medida de sexta-feira inclui um pacote para garantir que a refinaria possa receber petróleo de rotas alternativas, sem fornecer detalhes.

(Por Markus Wacket em Berlim, Paul Carrel em Genebra e Shadia Nasralla em Londres)