Alemanha dá novo passo para entrega de tanques Leopard à Ucrânia

A Alemanha deu um passo nesta terça-feira(24) em direção à entrega de tanques Leopard a Kiev, ao incentivar seus aliados a treinarem soldados ucranianos a manejarem estes veículos solicitados com insistência para enfrentar a invasão russa.

"Eu encorajei expressamente os países aliados que possuem tanques Leopard prontos a treinar forças ucranianas nesses tanques", disse o ministro da Defesa Boris Pistorius, que nesta terça recebeu em Berlim o chefe da Otan, Jens Stoltenberg.

Kiev pede insistentemente a entrega desses tanques para repelir a invasão russa com mais eficácia. Muitos países da Otan têm tanques Leopard, mas para entregá-los à Ucrânia é necessária a autorização de Berlim, que ainda está pendente, apesar das pressões nos últimos dias.

Pistorius disse nesta terça-feira que uma decisão pode ser iminente e que pode acontecer "em breve".

O Kremlin alertou que a entrega dos tanques à Ucrânia não trará "nada de bom para o futuro das relações" entre a Rússia e a Alemanha.

Stoltenberg também disse que espera uma decisão sobre o Leopard "em breve" e saudou a "mensagem clara" do ministro alemão, "porque quando for tomada uma decisão sobre a entrega dos carros de combate, vai demorar para tê-los prontos" para operar no terreno.

"Temos que dar à Ucrânia sistemas mais pesados e avançados, e temos que fazer isso mais rápido", enfatizou Stoltenberg, observando que o tempo se esgota porque Moscou parece não querer mudar de rumo.

"Não temos indicações de que o presidente (Vladimir) Putin tenha mudado os planos (...). A única maneira de alcançar uma paz duradoura é deixar claro a Putin que não ganhará no campo de batalha", afirmou Stoltenberg em Berlim.

- A Polônia pressiona -

Pistorius havia dito anteriormente, em declarações ao canal ZDF, que a Alemanha apoia a Ucrânia "para que ganhe esta guerra contra a Rússia".

A decisão sobre a entrega dos Leopard corresponde à equipe do chanceler Olaf Scholz, acrescentou.

A Polônia aumentou a pressão nesta terça-feira, anunciando que pediu oficialmente à Alemanha permissão para enviar seus tanques Leopard para a Ucrânia. No dia anterior, Varsóvia havia dito que enviaria esse material mesmo sem a permissão de Berlim.

"A Alemanha já recebeu nosso pedido de consentimento para transferir os tanques Leopard 2 para a Ucrânia", disse o ministro da Defesa polonês, Mariusz Blaszczak.

- Demissões por corrupção -

Ao completar nesta terça-feira 11 meses do início da invasão russa, o presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, incentivou suas tropas a manterem a moral alta e "unir todas nossas forças em busca de uma coisa, a vitória".

Zelensky enfrenta, no entanto, um momento difícil com a demissão de vários altos funcionários nesta terça-feira depois que o Ministério da Defesa foi acusado de firmar contratos de suprimentos para o Exército a preços superfaturados.

Entre as autoridades destituídas estão o vice-ministro da Defesa, Viacheslav Shapovalov, encarregado do apoio logístico às Forças Armadas, o chefe adjunto da administração presidencial, Kirilo Timoshenko, e o procurador-geral adjunto Oleksii Simonenko.

Igualmente, cinco governadores regionais e outros três vice-ministros foram destituídos devido a este mesmo escândalo.

hmn/mfp/avl/zm/jc