Alemanha deve estender restrições sociais contra o coronavírus

Andreas Rinke e Christian Rüttger
·1 minuto de leitura

Por Andreas Rinke e Christian Rüttger

BERLIM (Reuters) - A Alemanha deve estender o bloqueio em todo o país para além do dia 10 de janeiro de forma a conter as taxas de infecção por coronavírus que seguem altas e sobrecarregam hospitais e profissionais de saúde, disseram autoridades neste fim de semana.

A chanceler Angela Merkel e os líderes regionais devem concordar em estender as restrições assim que se reunirem na próxima terça-feira. Ainda não está claro por quanto tempo durará a extensão.

"Os números ainda são muito altos, então teremos que prolongar as restrições", disse o ministro da Saúde, Jens Spahn, à emissora RTL em entrevista na noite de sábado.

As taxas de infecção teriam que ser reduzidas de forma sustentável, disse Spahn, antes de acrescentar: "É melhor isso do que afrouxar muito cedo e então, talvez em poucas semanas, enfrentar novas dificuldades."

A Alemanha impôs restrições sociais mais rígidas antes do Natal, incluindo o fechamento de restaurantes e da maioria das lojas. Mesmo assim, as infecções continuaram a aumentar e o número de mortos ultrapassou 1.000 em alguns dias.

A taxa de incidência de novas infecções em sete dias está atualmente na casa de 140 contaminados a cada 100.000 pessoas - bem acima da meta de 50 pessoas por 100.000 habitantes que os políticos concordaram que seria segura o suficiente para aliviar as restrições.

Com uma nova variante do coronavírus mais infecciosa circulando, alguns políticos e líderes da área de saúde estão pedindo que as restrições sejam suspensas somente quando a taxa de incidência de novas infecções em sete dias cair para 25.