Alemanha está mais próxima de abandonar lei de abortos da era nazista

·1 min de leitura

BERLIM (Reuters) - O Ministério da Justiça da Alemanha apresentou um projeto de lei na segunda-feira que rejeita uma regra da era nazista que proíbe os médicos de oferecerem informações sobre abortos.

Médicos na Alemanha podem dizer que oferecem o término da gravidez, mas não são permitidos a oferecer qualquer informação adicional sobre tais procedimentos.

Críticos dizem que a lei dificulta o acesso à informação às mulheres sobre quais procedimentos estão disponíveis e quem os oferece.

O ministro da Justiça, Marco Buschmann, disse que descartar a lei, introduzida em 1933, facilitará a busca por informações online para consultas com fontes qualificadas.

"Médicos deveriam poder informar o público sobre o aborto sem o risco de serem processados criminalmente", acrescentou.

O novo governo apresentou seus planos para eliminar a lei no acordo de coalizão assinado em novembro.

Tecnicamente, o aborto é ilegal de maneira geral na Alemanha. No entanto, o procedimento é permitido sob certas circunstâncias, e deve ser realizado dentro de 12 semanas desde a concepção.

(Reportagem de Miranda Murray)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos