Alemanha investiga motivação de autor de ataque com faca que matou três pessoas

·2 minuto de leitura
Pessoas depositam flores no local do ataque com faca que deixou três mortos em Wurzburg, sul da Alemanha

A polícia da Alemanha investiga o que levou um jovem com distúrbios mentais a cometer um ataque violento na sexta-feira com uma faca em Wurzburg, sul do país, que terminou com três pessoas mortas e cinco gravemente feridas.

O homem, que tem nacionalidade somali e que chegou à cidade bávara em 2015, foi controlado após a intervenção de vários civis.

O presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, disse que está "em choque" após o "horrível ato de violência", no qual o agressor mostrou uma "brutalidade extrema".

Neste sábado, moradores da cidade de 130.000 habitantes depositaram flores e velas no local do ataque.

O ministro do Interior da Baviera, Joachim Herrmann, revelou na sexta-feira que o agressor, de 24 anos, era conhecido há meses por atos de violência e problemas psiquiátricos. Também havia sido internado recentemente em um hospital psiquiátrico.

Herrmann disse que uma testemunha relatou que o agressor gritou "Alá Akbar" (Alá é grande) no momento do ataque.

As equipes de emergência afirmaram que o somali mostrou uma "brutalidade realmente incrível".

A Procuradoria Nacional Antiterrorista não assumiu a investigação e a polícia da região informou que o somali não era conhecido por convicções islamitas.

O partido de extrema-direita Alternativa para Alemanha (AfD) utilizou o incidente para denunciar "os assassinatos islamistas com faca em pleno coração da Alemanha".

Para o AfD, que desenvolveu grande parte de seu discurso com a rejeição do islã e da imigração, este ataque é "uma nova prova do fracasso migratório de (Angela) Merkel".

A política migratória da chanceler, que deixará o cargo após as eleições legislativas de setembro, serviu de trampolim para que a extrema-direita entrasse com força na Câmara dos Deputados em 2017.

Após o ataque de sexta-feira, o candidato dos conservadores e possível sucessor de Merkel como chefe de Governo, Armin Laschet, expressou "grande respeito pelos corajosos cidadãos que atuaram rapidamente" para interromper o agressor.

A candidata dos Verdes, Annalena Baerbock, também agradeceu as equipes de emergência e os cidadãos "corajosos" que intercederam no momento.

Joachim Herrmann informou que o somali chegou à cidade em 2015, mas não explicou se ele solicitou asilo.

O agressor morava em um centro para pessoas sem residência, de acordo com a agência dpa.

O ataque aconteceu no fim da tarde, em uma loja do centro da cidade.

O jornal Bild informou que o homem roubou uma faca e atacou várias pessoas no estabelecimento comercial.

Ele matou três pessoas e depois seguiu para um banco, onde feriu outras vítimas.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram o agressor, descalço, com uma faca na mão, na rua. Várias pessoas tentam detê-lo com cadeiras e pedaços de pau. A polícia conseguiu prender o homem após atirar em sua perna.

yap/at/es/me/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos