Alemanha investiga suposto envolvimento do Estado Islâmico com atentado em Hamburgo

Por Michael Nienaber

Por Michael Nienaber

BERLIM (Reuters) - A Alemanha investiga uma reivindicação do Estado Islâmico de que um de seus seguidores seria o responsável por um ataque letal com uma faca na cidade de Hamburgo há duas semanas, no qual um jovem casal foi alvo de um agressor.

Um porta-voz da Promotoria Pública Federal alemã disse nesto domingo que investigadores estão checando uma reivindicação feita em uma nota publicada pela agência de notícias do grupo militante, a Amaq, no final de semana. 

"Estamos investigando e avaliando a credibilidade do conteúdo", afirmou o porta-voz. Ele notou que seria incomum a publicação da reivindicação duas semanas após o ataque. "Isso difere do padrão", afirmou. 

O Promotoria Pública Federal, responsável por investigar crimes que atentem à segurança nacional, decidirá nos próximos dias se o caso é de sua jurisdição e se deve assumi-lo. Atualmente a investigação é conduzido pelas autoridades locais, acrescentou o porta-voz. 

No ataque, um agressor desconhecido abordou um jovem casal sentado embaixo de uma ponte no rio Alster, no centro de Hamburgo, esfaqueou um jovem de 16 anos repetidas vezes pelas costas e chutou sua namorada de 15 anos para dentro do rio. 

A vítima esfaqueada morreu pouco depois em um hospital, enquanto a jovem conseguiu escapar.

Em sua reivindicação da autoria do ataque, o grupo diz: "Um soldado do Estado Islâmico esfaqueou dois indivíduos em Hamburgo no dia 16 deste mês. Ele conduziu a operação em resposta aos pedidos para mirar cidadãos de países de coalizão." 

Uma porta-voz da polícia em Hamburgo disse que investigadores locais investigam a nota e sua credibilidade, mas acrescenta que a reivindicação do ataque levantava uma série de perguntas. 

"Neste momento, é importante apontar que a equipe de homicídios ainda investiga todas as possibilidades", disse. 

O grupo islâmico enfrenta uma dura pressão de forças regionais e internacionais em seu território, que compreende áreas da Síria e do Iraque. 

Em julho, o grupo reivindicou a autoria de dois ataques no estado alemão da Baviera, um deles em um trem em Wuerzburg e outro em um festival de música em Ansbach, que feriu 20 pessoas. 

Neste mês, a polícia deteve um refugiado sírio suspeito de planejar um ataque a bomba no aerooporto de Berlim. O jovem de 22 anos cometeu suicídio na prisão pouco depois de sua detenção. 

Autoridades disseram que Jaber Albakr falou com membros do Estado Islâmico na Síria por telefone sobre um possível alvo um dia antes da polícia descobrir explosivos em seu apartamento.