Alemanha procura nova estratégia para a floresta

Uma floresta de árvores queimadas e mortas. Podia ser em Portugal, mas a paisagem na imagem é alemã. Em Brandenburgo, é tempo de enfrentar o desafio do reordenamento florestal, depois do pior verão de que há memória em matéria de incêndios.

"A transformação das florestas é a tarefa principal da minha geração. O objectivo é transformar as monoculturas de pinheiros, que são mais de 70% da área florestal de Brandenburgo, em florestas mistas," diz o guarda-florestal Martin Schmitt.

As monoculturas são particularmente vulneráveis a tempestades, parasitas e incêndios. A diversidade de espécies torna a floresta mais resistente, dizem os especialistas.

Martin Schmitt explica que "Se tivéssemos aqui madeira dura misturada com pinheiros e outras espécies de árvores, a floresta seria mais fresca porque a madeira dura tem uma maior taxa de transpiração e, graças à sombra das folhas, a floresta é bastante mais fria".

Alemanha registou os piores incêndios florestais em 2022, depois de uma intensa época de cheias. Os especialistas voltam a avisar que os fenómenos climáticos extremos vão aumentar nos próximos anos.